Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Destróier norte-americano se aproxima da fronteira oriental da Rússia

O destróier norte-americano USS McCampbell se aproximou do golfo de Pedro, o maior golfo do mar do Japão (também conhecido como mar do Leste), adjacente à costa russa da região de Primorie.


Sputnik

Segundo a Marinha dos EUA a manobra foi realizada para mostrar que os militares estadunidenses "voarão, navegarão e agirão em qualquer lugar onde a lei internacional permitir".


Navio USS McCampbell (DDG 85) dos EUA no Golfo Pérsico
USS McCampbell © AFP 2018 / HO / US NAVY / AFP

Em 5 de dezembro, o USS McCampbell entrou no mar do Japão, aproximando-se das águas territoriais da Rússia, segundo a porta-voz da Frota do Pacífico dos EUA, Rachel McMarr, citada pelo canal CNN.

A porta-voz acrescentou que os militares pretendiam desafiar "as excessivas pretensões marítimas da Rússia e defender os direitos e liberdades em relação ao uso legítimo do mar de que os EUA e de outros países desfrutam".

McMarr sublinhou que Washington não reconhece as reclamações da Rússia. Segundo os EUA, Moscou pretende controlar as zonas que se encontram mais além do que o direito internacional estabelece.

Ela disse que a recente manobra do destróier da operação "Navegação Livre" tem como objetivo mostrar que os EUA têm o direito de enviar seus navios a qualquer ponto de acordo com o direito internacional.

"Isso tem a ver tanto com o mar do Japão (também conhecido como mar do Leste) como com outros lugares em todo o mundo", acrescentou McMarr.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas