Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Destróier norte-americano se aproxima da fronteira oriental da Rússia

O destróier norte-americano USS McCampbell se aproximou do golfo de Pedro, o maior golfo do mar do Japão (também conhecido como mar do Leste), adjacente à costa russa da região de Primorie.


Sputnik

Segundo a Marinha dos EUA a manobra foi realizada para mostrar que os militares estadunidenses "voarão, navegarão e agirão em qualquer lugar onde a lei internacional permitir".


Navio USS McCampbell (DDG 85) dos EUA no Golfo Pérsico
USS McCampbell © AFP 2018 / HO / US NAVY / AFP

Em 5 de dezembro, o USS McCampbell entrou no mar do Japão, aproximando-se das águas territoriais da Rússia, segundo a porta-voz da Frota do Pacífico dos EUA, Rachel McMarr, citada pelo canal CNN.

A porta-voz acrescentou que os militares pretendiam desafiar "as excessivas pretensões marítimas da Rússia e defender os direitos e liberdades em relação ao uso legítimo do mar de que os EUA e de outros países desfrutam".

McMarr sublinhou que Washington não reconhece as reclamações da Rússia. Segundo os EUA, Moscou pretende controlar as zonas que se encontram mais além do que o direito internacional estabelece.

Ela disse que a recente manobra do destróier da operação "Navegação Livre" tem como objetivo mostrar que os EUA têm o direito de enviar seus navios a qualquer ponto de acordo com o direito internacional.

"Isso tem a ver tanto com o mar do Japão (também conhecido como mar do Leste) como com outros lugares em todo o mundo", acrescentou McMarr.

Comentários

Postagens mais visitadas