Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Distância não é obstáculo: analista ressalta importância de envio de Tu-160 à Venezuela

Dois bombardeiros estratégicos russos Tu-160, um avião de transporte militar An-124 e uma aeronave IL-62 chegaram nesta segunda-feira (10) à Venezuela, procedentes da Rússia. Analista político russo comenta a importância deste voo.


Sputnik

Segundo informou a defesa russa, os aviões voaram uma distância total de 10 mil quilômetros. Em algumas partes do trajeto, as aeronaves russas foram acompanhadas por caças F-16 da Força Aérea da Noruega.


Bombardeiro Tu-160 depois de pousar no aeroporto da Venezuela
Tupolev Tu-160 na Venezuela © AFP 2018 / Federico Parra

O ministério russo sublinhou que o voo foi realizado em estrita concordância com as regulamentações internacionais.

O analista militar Andrei Koshkin destacou a dificuldade do voo realizado e o profissionalismo dos pilotos russos, que cumpriram a tarefa com sucesso e conforme a lei internacional.

"A cooperação que está sendo desenvolvida ativamente hoje em dia entre a Rússia e a Venezuela demonstra que tais distâncias colossais não representam obstáculo nem para nossos especialistas, nem para o equipamento militar. Acho que o voo é um bom exemplo para o Ocidente, liderado pelos EUA, que estão acostumados a permanecer perto das fronteiras russas e a fazer o que consideram necessário", falou Koshkin para o serviço russo da Rádio Sputnik.

A Rússia, por sua vez, ressalta o especialista, simplesmente mostra que é capaz de construir relações com países latino-americanos e realizar manobras conjuntas.

Na semana passada, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu se encontrou com o homólogo venezuelano, Vladimir Padrino López, e expressou a esperança de que aviões de combate russos possam continuar realizando voos para a Venezuela, assim como navios possam atracar em portos venezuelanos.

Shoigu sublinhou que tais voos são para os militares russos "uma oportunidade de obter experiência importante para a aviação de longo curso e manter o equipamento em estado operacional".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas