Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Donald Trump pode ter fraudado atestado para não ir à Guerra do Vietnã, diz mídia

Duas filhas de um médico de Nova York alegaram que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pode ter se esquivado de ir à Guerra do Vietnã usando um diagnóstico falso de esporões ósseos que seu pai forneceu, informou a mídia nesta quarta-feira.


Sputnik

Elysa Braunstein e Sharon Kessel disseram que seu pai, o podólogo Larry Braunstein, insinuou que Trump não tinha as esporas listadas na ficha de diagnóstico que o desqualificaram para servir no Vietnã, informou o jornal The New York Times.


Donald Trump em março de 2018.
Donald Trump © AP Photo / Andrew Harnik

Além disso, Elysa Braunstein afirmou que seu pai, que morreu em 2007, justificou o diagnóstico falso como um favor ao pai do atual presidente dos Estados Unidos, Fred Trump.

O Dr. Braunstein alugou de Fred Trump os escritórios em Edgerton Apartments, no bairro de Queens, em Nova York, onde ele exercia sua prática médica. A família Trump vendeu o prédio em 2004, de acordo com a reportagem.

O jornal observou, no entanto, que nenhuma evidência em papel foi encontrada para ajudar a corroborar a versão dos eventos descritos pela família Braunstein.

As filhas do Dr. Braunstein disseram que o pai não deixou registros médicos com a família, e um médico que comprou a clínica disse que não tinha conhecimento de nenhum documento relacionado a Trump, segundo a reportagem.

Os registros médicos mais detalhados do governo relacionados ao esboço não existem mais, de acordo com os Arquivos Nacionais, acrescentou o The New York Times.

Em 2016, Trump disse ao mesmo jornal que um médico havia lhe fornecido uma carta sobre seu diagnóstico para apresentar aos funcionários encarregados pelo alistamento. No entanto, Trump informou que ele não conseguia lembrar o nome do médico.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas