Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump não precisa de autorização do Congresso para declarar guerra ao Irã, diz analista

Donald Trump pode não precisar do aval do Congresso para declarar guerra contra o Irã, algo que seus conselheiros "vêm construindo discretamente" um caso em meio a sanções crescentes, informa Jonathan Allen, da NBC News.
Sputnik

O articulista afirma que os principais elementos do plano incluem ligar a al-Qaeda ao Irã para retratar a República Islâmica como uma ameaça terrorista aos EUA, "o que é exatamente o que as autoridades do governo vêm fazendo nas últimas semanas".

"Isso poderia dar a Trump a justificativa que ele precisa para combater o Irã sob a resolução de uso de força de 2001, sem aprovação do Congresso", Allen argumenta, acrescentando que o Congresso dificilmente concederá ao presidente americano "nova autoridade para atacar o Irã nas circunstâncias atuais ”.

Os comentários do autor vêm depois que o New York Times citou vários altos funcionários norte-americanos não identificados dizendo que “[o presidente Donald] Trump foi firme em dizer que…

'Dor crescerá com o tempo': Washington ameaça Moscou pelo incidente no estreito de Kerch

O Departamento de Estado dos EUA mais uma vez pediu para que a Rússia liberte os marinheiros ucranianos detidos no estreito de Kerch, ameaçando com consequências graves caso Moscou se recuse a soltá-los.


Sputnik

O comunicado de imprensa foi publicado no site oficial do Departamento de Estado dos EUA. No entanto, a identidade do alto oficial que respondeu às questões não foi divulgada.


Os navios da Marinha ucraniana Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu detidos pela guarda fronteiriça da Rússia após terem violado a fronteira
Navios ucranianos detidos pela Rússia © Sputnik / Assessoria de imprensa da guarda fronteiriça do Serviço Federal de Segurança da Rússia na Crimeia

"Nós queremos que os russos absorvam a mensagem que eles precisam libertar a tripulação ou então haverá consequências e a dor crescerá com o tempo", declarou um alto oficial americano.

Além do mais, ele acrescentou que "é nossa mensagem constante e generalizada para várias formas de comportamento agressivo".

Entretanto, ele mais uma vez repetiu a posição de Washington quanto ao incidente no estreito de Kerch. Segundo as palavras do representante estadunidense, as ações da Rússia representam um "ato de agressão" e uma "evidente escalada militar e violação de direito internacional e liberdade de navegação".

Nessa conexão, opina, a Rússia deve entender a continuidade do agravamento das consequências dos EUA enquanto os marinheiros da Marinha ucraniana continuarem detidos.

"Eles devem libertar as tripulações, devolver os navios, e isso não é algo a qual não daremos atenção", sublinhou.

Em 25 de novembro, três navios da Marinha ucraniana — Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu — atravessaram a fronteira da Rússia, violando, assim, o direito marítimo. Os navios entraram na zona aquática temporariamente fechada e realizaram manobras perigosas, sem reagir aos avisos da Guarda Costeira russa.

O lado russo se viu obrigado a usar armas. Após o confronto, todos os navios ucranianos foram detidos. Como resultado, a Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

Em 26 de novembro, a Suprema Rada (parlamento ucraniano) aprovou imposição da lei marcial em 10 regiões da Ucrânia por 30 dias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas