Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Especialista revela vantagem do submarino russo da 4ª geração perante análogo americano

O submarino estratégico do projeto 955 Borei é duas vezes mais silencioso que o submarino polivalente nuclear da classe Virgínia dos EUA, declarou Aleksandr Blagov, diretor do Instituto Kurchatov, que participou do desenvolvimento do navio russo.


Sputnik


O primeiro submarinho da classe Virgínia foi entregue à Marinha dos EUA em 2004, enquanto a Marinha russa recebeu o Borei em 2013.


Submarino nuclear russo de classe Borei (foto de arquivo)
Submarino nuclear russo Classe Borei © Sputnik / Sevmash

"O submarino nuclear de quarta geração Borei é duas vezes mais silencioso que o Virgínia norte-americano", revelou Blagov, sublinhando que foram realizados esforços consideráveis para aumentar a furtividade do submarino.

Os submarinos nucleares russos de quarta geração do projeto Borei e Borei-A, equipados com mísseis balísticos intercontinentais R-30 Bulava, deverão ser o elemento principal do componente naval estratégico russo nas próximas décadas.

O Borei tem 170 metros de cumprimento, 13,5 metros de largura e seu o deslocamento é de 24 mil toneladas. Estes submarinos podem ser equipados com 16 mísseis balísticos intercontinentais R-30 Bulava.

A mídia já qualificou os navios do projeto 955 Borei como um "pesadelo" para os EUA e declarou que os novos submarinos russos são os mais temíveis em todo o mundo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas