Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que novas sanções dos EUA sobre Irã miram líder supremo

O presidente norte-americano, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que os Estados Unidos estão impondo novas sanções sobre o Irã, em meio a uma escalada nas tensões entre os dois países.
Por Steve Holland | Reuters 
WASHINGTON: Trump disse a repórteres que as sanções, que têm como alvo o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, são em resposta à derrubada de um drone norte-americano na semana passada.

'Estávamos fazendo trabalho': Trump chama Rússia, Irã e Síria de inimigos locais do Daesh

Donald Trump comentou no Twitter a decisão de acabar a campanha militar na Síria, explicando que Washington, Teerã e Moscou são os inimigos do Daesh no país.


Sputnik

"Sair da Síria não foi surpresa. Eu vinha fazendo campanha há anos, e há seis meses, quando eu queria publicamente fazê-lo, concordei em ficar mais tempo. A Rússia, o Irã, Síria e outros são os inimigos locais do Daesh. Nós estávamos fazendo o trabalho lá. É hora de voltar para casa e reconstruir", escreveu o presidente dos EUA Donald Trump no Twitter.


Presidente dos EUA, Donald Trump, reúne-se com presidente russo, Vladimir Putin, no palácio presidencial em Helsinque, 16 de julho de 2018
Donald Trump © Sputnik / Sergey Guneev

Entretanto, o presidente russo Vladimir Putin, comentando durante a coletiva de imprensa a retirada das tropas norte-americanas da Síria, disse que não entende o que isto significa, já que os EUA anunciam todos os anos a retirada das tropas do Afeganistão, mas as tropas permanecem nesse país já há 17 anos. Putin acredita que a presença das tropas dos EUA na Síria é ilegítima e não é necessária, então se os EUA tomaram a decisão de as retirar — essa é uma decisão correta.

O presidente dos EUA Donald Trump anunciou ontem (19) a retirada das tropas norte-americanas da Síria depois da vitória sobre o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países).

A coalizão internacional liderada pelos EUA conduziu operações militares contra o Daesh na Síria sem autorização do governo sírio ou do Conselho de Segurança da ONU. O governo da Síria tem acusado reiteradamente a coalizão de lançar ataques aéreos, usar fósforo branco e bombas de fragmentação na região e de causar pesadas baixas civis.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas