Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

EUA planejam reiniciar programa de modernização das ogivas termonucleares W78

A Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA (NNSA) planeja reiniciar o programa de substituição de ogivas termonucleares W78. O programa será realizado entre 2019 e 2041 e vai custar 10-15 bilhões de dólares (R$ 40-58 bilhões).


Sputnik

A ogiva termonuclear W78 é uma das duas ogivas que equipam os mísseis balísticos intercontinentais Minuteman-III da Força Aérea dos EUA. 


Lançamento de míssil balístico Minuteman III
Lançamento do ICBM Minuteman III © AP Photo / Vandenberg Air Force Base

Pentágono também está considerando a utilização das ogivas W78 nos mísseis balísticos instalados em submarinos.

Segundo o relatório, citado pelo canal de televisão russo RT, a NNSA e a Secretaria da Defesa dos EUA tentaram modernizar as W78 durante dez anos, mas em 2014 o programa foi suspenso.

De acordo com o Pentágono, o reinício do programa está ligado à necessidade de garantir a segurança do arsenal nuclear dos EUA.

"A NNSA e a Secretaria da Defesa dos EUA realizam programas para aumentar a vida útil, renovar e substituir os componentes das armas nucleares, de maneira a prolongar o período de exploração dessas armas e garantir maior segurança e proteção do arsenal nuclear", lê-se no documento.

Entretanto, os analistas entrevistados pelo RT acreditam que o objetivo desse programa dos EUA é superar a Rússia do ponto de vista militar.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas