Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

EUA realizam voo imprevisto por cima da Ucrânia

Os Estados Unidos e seus aliados realizaram na quinta-feira (6) um voo imprevisto por cima da Ucrânia no âmbito do acordo de céu aberto após os eventos no estreito de Kerch, declarou o Pentágono.


Sputnik

"Hoje, os Estados Unidos e aliados realizaram um voo não planejado por cima da Ucrânia no âmbito do tratado de céu aberto. A escolha do tempo para este voo deve demonstrar a adesão dos EUA aos compromissos perante a Ucrânia e outros países", diz o comunicado. No relatório, o incidente no estreito de Kerch foi caracterizado como uma escalada perigosa.


Resultado de imagem para voo não planejado por cima da Ucrânia no âmbito do tratado de céu aberto
Avião de reconhecimento da Força Aérea dos EUA RC-135 | Reprodução

"Os EUA buscam ter boas relações com a Rússia, mas elas são impossíveis no contexto das suas ações ilegais e desestabilizadoras na Ucrânia e em qualquer outro lugar", diz a declaração.

Na terça-feira (27), um tribunal russo ordenou a prisão preventiva de 15 dos 24 marinheiros ucranianos detidos pela guarda fronteiriça russa. Na segunda-feira (26), o parlamento ucraniano aprovou a introdução da lei marcial em algumas regiões do país por 30 dias.

No domingo (25), três navios da Marinha ucraniana, em violação dos artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre o Direito do Mar, entraram na zona aquática temporariamente encerrada do mar territorial da Rússia e realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências das embarcações russas que acompanhavam os navios ucranianos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas