Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Exército de Israel dispara tiros de advertência na fronteira com o Líbano

As tropas israelenses dispararam tiros de advertência contra um veículo do Exército do Líbano perto da fronteira entre Israel e Líbano, localizada a leste do assentamento libanês de Mays al-Jabal, segundo informou a mídia local neste sábado (8).


Sputnik

De acordo com a agência de notícias libanesa NNA havia um forte nevoeiro no horário e as forças armadas israelenses se atrasaram ao notar um do exército libanês. O veículo realizava patrulhas de rotina ao longo da fronteira.


Bandeira israelense no Monte Bental, nas Colinas de Golã, que são controladas por Israel (foto de arquivo)
Colinas de Golã © AFP 2018 / Jalaa Marey

Na terça-feira (4), as Forças Armadas de Israel anunciaram o início de uma nova operação, chamada "Escudo do Norte". A operação tem como objetivo destruir os túneis escavados pelo Hezbollah na fronteira para transferir secretamente seus militantes para Israel.

Após o lançamento da operação, o exército libanês e a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL, na sigla em inglês) aumentaram o número de patrulhas no local, a fim de evitar incidentes que poderiam aumentar as tensões na fronteira.

Israel acusa o movimento libanês de cavar "túneis de terror" em seu território para atacar civis israelenses. Segundo declarado, a operação tem como objetivo localizar e neutralizar tais túneis antes que eles alcancem nível operacional.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas