Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Futuro caça PCA pode custar três vezes mais que o F-35

Um jato de superioridade aérea da próxima geração para a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), conhecido como Penetrating Counter Air, pode custar cerca de US$ 300 milhões em dólares de 2018 por avião, informou o Escritório de Orçamento do Congresso (CBO) em um novo estudo.


Poder Aéreo

WASHINGTON – A esse preço, o PCA teria o custo de mais de três vezes o do jato F-35A, que é definido em cerca de US$ 94 milhões.

Concepção inicial do PCA – Penetrating Counter Air

Esse valor, embora não seja uma estimativa de custo oficial do Pentágono, representa a primeira vez que uma entidade governamental avaliou o preço potencial para o PCA.

O CBO estima que a USAF precisará de 414 aeronaves PCA para substituir os atuais F-15C/D e F-22, atuais caças da Força Aérea voltados para o combate ar-ar. Também supõe que a primeira aeronave entrará em serviço em 2030, com base no desejo declarado do serviço de começar a colocar em campo o PCA em torno desse período de tempo.

A razão para o preço enorme seria o custo das novas tecnologias. Segundo o CBO, “a aeronave PCA provavelmente teria uma maior autonomia e capacidade de carga, além de recursos stealth e sensores aprimorados, do que o F-22 de hoje; essas características ajudariam a operar na presença das defesas aéreas de alto nível que o DoD acredita que a China, a Rússia e outros adversários em potencial podem ter no futuro”.

FONTE: Defense News

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas