Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Guarda Revolucionária do Irã realiza fase principal de exercícios no estreito de Ormuz

As Tropas Terrestres do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica participam de treinamentos na zona costeira da ilha de Qeshm, situada no estreito de Ormuz, comunica a mídia local.


Sputnik

De acordo com os dados do canal Press TV, os exercícios têm lugar em um território separado no estreito de Ormuz ao sul da costa do Irã, no leste do golfo Pérsico.


Tropas da Guarda Revolucionária do Irã
Guarda Revolucionária do Irã © AP Photo / Ebrahim Noroozi, File

O canal indica que esta é a última e maior etapa dos treinamentos em grande escala Grande Profeta 12, que decorrem cada ano nessa região. Segundo anuncia o moto desta fase, as manobras têm como objetivo demonstrar "força e segurança estáveis através da unidade nacional e do aumento de novos poderes defensivos".

Mais cedo, a agência Associated Press relatou que cerca de 30 navios do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica seguiram um grupo aeronaval norte-americano, liderado pelo porta-aviões USS John C. Stennis, que entrou no golfo Pérsico. A agência também comunicou que os navios iranianos efetuaram um lançamento de mísseis perto do grupo naval estadunidense.

No início de dezembro, a agência Tasnim News informou que o destróier iraniano Sahand, munido com mísseis, havia se juntado à Marinha iraniana no golfo Pérsico.

No dia 4 do mesmo mês, o presidente iraniano Hassan Rouhani sinalizou novamente a prontidão de o Irã para bloquear o estreito de Ormuz (a faixa marítima mais movimentada do mundo para transporte de petróleo) se Trump interromper o comércio de petróleo da República Islâmica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas