Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Irã acusa de atentado a Israel e Estados Unidos

Irão acusou a Israel, Estados Unidos e outros governos regionais pelo atentado terrorista na cidade portuária de Chabahar que deixou um saldo de dois mortos e 40 feridos.


Prensa Latina

Teerã - O ministro iraniano de Inteligência, Mahmud Alavi, denunciou que os serviços de segurança de países da região estão envolvidos nesses atos de terror, reproduzem hoje meios locais.

Ministro iraniano de Inteligência, Mahmud Alavi | Reprodução

A julgamento de Alavi, o regime sionista e Washington respaldam correntes terroristas para favorecer seus interesses.

'Estados Unidos, Israel e alguns governos árabes consideram que o terrorismo alinhado a esses interesses não é digno de condenação', precisou.

O ministro iraniano alertou sobre a emergência de focos e bases do grupo radical Estado Islâmico, pois só basta, acrescentou, um vazio de soberania para que para ali se translade uma corrente extremista.

A cidade portuária iraniana de Chabahar está a uns 100 quilômetros da fronteira com Paquistão e na quinta-feira passada foi vítima de um atentado suicide com carro bomba que matou ao menos duas pessoas e feriu a 40.

De acordo com relatórios da Inteligência iraniana, o grupo terrorista Ansar a o-Forqan atribuiu-se a ação criminosa.

Essa célula extremista recebe apoio financeiro de países árabes, segundo informação recopilada por órgãos especializados iranianos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas