Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Jane’s: NDM Bahia receberá MAGE Defensor Mk3

O jornalista português Victor Barreira noticiou no Jane’s que A Marinha do Brasil vai atualizar seu Navio Doca Multipropósito NDM Bahia (G40) com novos sistemas de navegação de superfície e de guerra eletrônica. O Bahia foi comprado da Marinha Francesa em 2015 e agora está sendo atualizado com novos equipamentos.


Poder Naval

Um radar de navegação Northrop Grumman Sperry Marine VisionMaster FT250 substituirá o radar de navegação DRBN34A existente (designação francesa para o Decca 1229). O navio foi recebido da França com seus dois DRBN34A originais, um para navegação e outro para aproximação de helicóptero. O Bahia também é equipado com um único sistema de radar de busca DRBV21A que incorpora a capacidade de identificação de amigo ou inimigo (IFF).

NDM Bahia G40

O sistema de Medidas de Apoio à Guerra Eletrônica (MAGE) Defensor Mk3 (ESM), desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa da Marinha do Brasil (IPqM), será instalado para identificar os emissores de radar em um dado ambiente eletromagnético. O sistema é composto por unidades de antena, unidade de processamento e interface do operador.

Dois reparos armados com Canhão Modèle F2 de 20 × 139 mm foram previamente substituídos por reparos de Oerlikon GAM-B01 de 20 mm armados Oerlikon canhão KAA disparando munição de 20 × 128 mm.

O Bahia também está armado com um reparo de canhão Modèle F2, dois lançadores de míssil superfície-ar SIMBAD para mísseis MISTRAL 1 VSHORAD e quatro reparos protegidos de metralhadora M2 HB de 12,7 mm.


O MAGE Defensor Mk3

O equipamento MAGE ET/SLR-1 é um sistema de Medidas de Apoio à Guerra Eletrônica capaz de contribuir para o reconhecimento tático dos emissores radar de um dado ambiente eletromagnético. Este sensor tem a função de interceptar radiações de emissores, localizar sua marcação, registrar o tempo de chegada e medir os seus parâmetros (Frequência, Presença de Modulação Intrapulso, Largura de Pulso e Amplitude), separando-os em grupos associados a um determinado radar emissor, caracterizando a frequência, frequência de repetição e varredura, classificando o tipo e o modo de operação do radar envolvido e a provável plataforma associada segundo uma Biblioteca de Emissores.


MAGE Defensor Mk3 do IPqM

O equipamento possui uma interface com Operador (IOL) que implementa um ambiente gráfico de operação tanto para visualização do cenário tático como para entrada de comandos e dados. A IOL utiliza o sistema operacional LINUX compatível com a arquitetura PC/AT, permitindo configurações de IOL que vão desde PCs comerciais até consoles específicas.

Acoplado a essa unidade pode existir um dispositivo de impressão para geração de relatórios baseados em eventos surgidos durante o funcionamento do sistema. A carga de bibliotecas e o salvamento dos históricos de eventos são feitos por intermédio de uma unidade de disco flexível 3 ½”, Memória FLASH tipo pen drive ou CD-ROM.

A visualização dos dados presentes no ambiente eletromagnético pode ser realizada através de diversas telas de operação. Apresentando telas no formato tabular e gráfico para visualização, acompanhamento e análise dos dados dos emissores radar detectados e plataformas associadas.

Além disto, o operador pode realizar operações de configuração do equipamento, tratamento e configuração de alarmes, acesso a dados e manutenção das bibliotecas MAGE e dos históricos gerados durante a missão.

Também são possíveis a impressão de informações relevantes ao sistema e a execução de comandos de diagnóstico e manutenção das diversas subunidades componentes (funções de BITE).

As bibliotecas principal e auxiliar servem de base de dados para a operação de classificação de emissores encontrados no cenário tático.

A IOL permite operações de criação, carga, importação e exportação de bibliotecas, bem como consulta, criação, alteração, exclusão e impressão de registros presentes nessas bibliotecas.

O equipamento possui interfaces com outros sistemas da plataforma: agulha giroscópica, radares de bordo (pulsos de supressão), sistema tático e de combate e equipamentos de contramedida.

O MAGE ET/SLR-1X também é dotado de sistema de ELINT, gravando os sinais presentes no ambiente eletromagnético, permitindo a realização de análise pós-missão. Os arquivos gravados podem ser executados no modo “playback”, de maneira a prover uma poderosa ferramenta de treinamento dos operadores utilizando cenários reais.

Composição do Equipamento

O equipamento MAGE está basicamente composto das seguintes unidades:

  • Unidade de Antena;
  • Unidade de Processamento;
  • Subunidade de RF;
  • Subunidade Processadora;
  • Subunidade de Alimentação;
  • Dispositivos de Controle Ambiental (Arrefecimento, Calefator e Sensor de Temperatura);
  • Unidade de IOL.

Características Gerais

  • Faixa de operação: 2 a 18 GHz
  • Parâmetros medidos: Frequência da portadora, frequência de repetição de pulsos, largura de pulsos, modulação intrapulso, direção do sinal;
  • Funcionalidades: Capacidade de interface com sistema de combate do navio, sistemas de contramedidas eletrônicas (CME), agulha giroscópica, sinais de blanking. Capacidade de coleta de dados ELINT, com gravação em disco rígido para análise pós-missão ou treinamento (playback).

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas