Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Kiev pode começar provocação no estreito de Kerch na véspera de Ano Novo, diz político

A Ucrânia, instigada pelos EUA, poderia tentar organizar mais uma provocação no estreito de Kerch antes do Ano Novo e a Rússia, neste caso, reagiria duramente a isso, declaro à Sputnik o vice-presidente do Conselho Consultivo da República da Crimeia, Aleksandr Formanchuk.


Sputnik

Na quarta-feira (19), o chefe do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, anunciou que Kiev planeja uma nova passagem de navios ucranianos pelo estreito de Kerch. Após isso, 40 senadores norte-americanos apresentaram um projeto, apelando para realizar uma operação multinacional no mar Negro para garantir a liberdade de navegação.


Navios da Marinha ucraniana passam pelo estreito de Kerch
Navios da Marinha da Ucrânia © Foto : Courtesy of eyewitness

De acordo com Formanchuk, a nova provocação da Ucrânia "será elaborada em várias versões", e Kiev tentará "provocar uma reação dura da Rússia".

"Eles queriam repetir [a passagem dos navios], e não podemos nos permitir ficar de lado e não responder. Considero que a parte ucraniana instigada pelos EUA tentará realizar isso antes do Ano Novo", destacou ele.

Anteriormente, o chanceler russo Sergei Lavrov declarou que a Ucrânia está preparando uma provocação militar na fronteira com a Rússia, planejada para o fim de dezembro.

A última grande provocação do lado ucraniano ocorreu em 25 de novembro, quando três navios da Marinha ucraniana atravessaram a fronteira da Rússia, violando as normas marítimas. As embarcações entraram em águas temporariamente fechadas e efetuaram manobras perigosas, ignorando as exigências da Guarda Costeira russa, que se viu obrigada a usar armas.

Em seguida, todos os navios ucranianos foram apreendidos e as tripulações foram detidas. A Rússia abriu um processo criminal por violação fronteiriça e, após o incidente, o parlamento ucraniano aprovou a imposição da lei marcial em 10 regiões da Ucrânia por 30 dias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas