Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Maduro: Venezuela é alvo de ameaças imperialistas

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assegurou nesta sexta-feira na cúpula da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA) que seu país está no olho do furacão das ameaças imperialistas.


Sputnik

"[América Latina] é uma área em disputa. Uma disputa intensa. Uma ofensiva contra governos progressistas. Estamos no olho do furacão das ameaças imperialistas e seus governos satélites no continente", disse Maduro durante a cúpula da ALBA que acontece em Havana.


Nicolás Maduro, presidente da Venezuela no Fórum Internacional Semana da Energia da Rússia
Nicolás Maduro © Sputnik / Sergei Guneev

Segundo ele, "uma campanha brutal contra a revolução bolivariana" está em curso.

O presidente assegurou que a luta está sendo travada entre o projeto "neocolonialista imperialista" dos Estados Unidos e o projeto de "libertação, independência e felicidade compartilhada" e promovida, entre outros, por seu governo.

Maduro considerou apropriado unir os esforços dos povos da região para estabelecer as bases para a independência dos próximos anos.

A ALBA, fundada em 2004 a pedido da Venezuela, tem entre seus membros Antígua e Barbuda, Bolívia, Cuba, Dominica, Grenada, Nicarágua, Saint Kitts e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, e Suriname.

O Governo do Equador decidiu retirar-se da ALBA em agosto deste ano, em resposta à situação política e migratória da Venzuela.

Comentários

Postagens mais visitadas