Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Marinha do Irã lança mísseis perto de porta-aviões americano

Navios iranianos efetuaram lançamento de mísseis perto do grupo naval norte-americano liderado por um porta-aviões que na sexta-feira (21) entrou no golfo Pérsico.


Sputnik

Além do porta-aviões USS John C. Stennis, o grupo de ataque também inclui o cruzador de mísseis USS Mobile Bay, os destróieres de mísseis USS Decatur e USS Mitscher e um submarino nuclear de ataque.


Navios de guerra da Marinha do Irã
Navios de guerra do Irã © AP Photo / Fars News Agency, Mahdi Marizad

Durante a entrada do grupo aeronaval da Marinha dos EUA liderado pelo porta-aviões USS John C. Stennis nas águas do golfo Pérsico, cerca de 30 navios do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica seguiram esse grupo naval, informou a agência Associated Press.

Destaca-se que os navios da Marinha estadunidense permanecerão no Oriente Médio por dois meses.

De acordo com o The Wall Street Journal, os EUA enviaram seus navios para essa zona marítima como uma demonstração de força ao Irã.

Anteriormente, uma fonte do jornal explicou que a presença do USS John C. Stennis "fornecerá definitivamente uma diferença positiva" no balanço de forças em caso de ações hostis do Irã nessas águas.

No início de dezembro, a agência Tasnim News informou que o destróier iraniano Sahand, munido com mísseis, havia se juntado à Marinha iraniana no golfo Pérsico. No dia 4 do mesmo mês, o presidente iraniano Hassan Rouhani sinalizou novamente a prontidão de o Irã bloquear o estreito de Ormuz (a faixa marítima mais movimentada do mundo para transporte de petróleo) se Trump interromper o comércio de petróleo da República Islâmica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas