Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Militares iranianos declaram ter possibilidade de aumentar alcance de mísseis balísticos

Os militares do Irã têm capacidade para aumentar o alcance de voo dos seus mísseis balísticos, anunciou o brigadeiro-general Amir Ali Hajizadeh, comandante da Força Aeroespacial do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês).


Sputnik

Segundo o general, atualmente o limite de alcance dos mísseis balísticos iranianos é de 2 mil quilômetros.


Lançamento de um míssil balístico pelo Irã
Lançamento de míssil balístico iraniano © AP Photo / Amir Kholousi

"Nós temos a capacidade para criar mísseis com um alcance maior […] Não temos limites do ponto de vista técnico ou devido a acordos quanto ao alcance dos mísseis", declarou.

Teerã, depois de assinar o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) em 2015, efetuou por várias vezes testes de mísseis balísticos em 2016 e 2017. Em setembro de 2017, durante um desfile militar, o Irã apresentou um novo míssil balístico, denominado Khorramshahr, de alcance de 2 mil quilômetros.

No início de dezembro o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, declarou que o Irã realizou testes de um míssil balístico de médio alcance, violando a resolução do Conselho de Segurança da ONU. Os EUA apelam ao Irã para cessar imediatamente todas as ações ligadas aos mísseis balísticos destinados ao transporte de armas nucleares.

O Ministério das Relações Exteriores iraniano comunicou, em resposta às acusações, que o programa de mísseis do país não viola resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas