Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

MRE russo: lei marcial na Ucrânia ameaça com reinício de ações militares em Donbass

Por trás da lei marcial, introduzida pelas autoridades ucranianas após incidente no mar Negro, pode estar um plano de novas provocações em Donbass, afirmou a representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova.


Sputnik

"A lei marcial é uma fachada, um disfarce, por trás do qual o regime [do presidente da Ucrânia Pyotr] Poroshenko tenciona claramente esconder a organização de outra provocação em Donbass", disse a representante oficial. 


Soldados ucranianos perto de um tanque nas posições perto da cidade de Mariupol, em Donbass
Tropa ucraniana próximo a Mariupol, Donbass © AP Photo / Vadim Ghirda

A representante da chancelaria também sublinhou que Kiev está concentrando suas forças na área de Donbass.

"Nos últimos dias, aparecem cada vez mais informações de que as Forças Armadas da Ucrânia estão se preparando ativamente para possíveis ações militares em Donbass", comentou Zakharova.

Segundo a chancelaria russa, enquanto Kiev está distraindo atenção da sociedade com o incidente no estreito de Kerch, apresentado como ações agressivas por parte da Rússia, seu exército desloca substanciais equipamentos ofensivos para o leste do país, que depois são distribuídos ao longo da linha de contato em Donbass.

Em 26 de novembro, a Suprema Rada (parlamento ucraniano) aprovou a imposição da lei marcial em 10 regiões do país por um prazo de 30 dias.

A medida foi tomada por Kiev após o incidente no estreito de Kerch, quando três navios da Marinha ucraniana violaram a fronteira russa entrando nas suas águas territoriais temporariamente fechadas e realizaram manobras perigosas, sem reagir às exigências das embarcações russas que se encontravam no local. A guarda fronteiriça da Rússia tomou a decisão de deter os navios e os tripulantes. A Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas