Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

MRE russo: lei marcial na Ucrânia ameaça com reinício de ações militares em Donbass

Por trás da lei marcial, introduzida pelas autoridades ucranianas após incidente no mar Negro, pode estar um plano de novas provocações em Donbass, afirmou a representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova.


Sputnik

"A lei marcial é uma fachada, um disfarce, por trás do qual o regime [do presidente da Ucrânia Pyotr] Poroshenko tenciona claramente esconder a organização de outra provocação em Donbass", disse a representante oficial. 


Soldados ucranianos perto de um tanque nas posições perto da cidade de Mariupol, em Donbass
Tropa ucraniana próximo a Mariupol, Donbass © AP Photo / Vadim Ghirda

A representante da chancelaria também sublinhou que Kiev está concentrando suas forças na área de Donbass.

"Nos últimos dias, aparecem cada vez mais informações de que as Forças Armadas da Ucrânia estão se preparando ativamente para possíveis ações militares em Donbass", comentou Zakharova.

Segundo a chancelaria russa, enquanto Kiev está distraindo atenção da sociedade com o incidente no estreito de Kerch, apresentado como ações agressivas por parte da Rússia, seu exército desloca substanciais equipamentos ofensivos para o leste do país, que depois são distribuídos ao longo da linha de contato em Donbass.

Em 26 de novembro, a Suprema Rada (parlamento ucraniano) aprovou a imposição da lei marcial em 10 regiões do país por um prazo de 30 dias.

A medida foi tomada por Kiev após o incidente no estreito de Kerch, quando três navios da Marinha ucraniana violaram a fronteira russa entrando nas suas águas territoriais temporariamente fechadas e realizaram manobras perigosas, sem reagir às exigências das embarcações russas que se encontravam no local. A guarda fronteiriça da Rússia tomou a decisão de deter os navios e os tripulantes. A Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas