Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

National Interest admira estratégia 'peculiar' da modernização russa de aeronaves militares

A estratégia atual da Rússia de modernização da Força Aeroespacial, ligada à melhoria das características dos aviões da era soviética, mostra um excelente resultado, escreve National Interest.


Sputnik

A revista americana escreve que a estratégia "peculiar" permite economia de considerável soma de dinheiro e, em pouco tempo, recebimento dos mais modernos e eficientes aviões.


Cerimônia de rolagem do bombardeiro modernizado russo Tu-22M3M, em Kazan
Tupolev Tu-22 M3M © Sputnik / Maksim Bogodvid

Como exemplo do sucesso da estratégia, a publicação destaca o bombardeiro russo Tu-22M3M, que é muito parecido com o antigo soviético Tu-22, mas suas características o tornam um moderno bombardeiro "mortífero", cuja produção em série está prevista para o ano que vem. Elaborando versão modernizada Tu-22M3M, Rússia decidiu manter o projeto da aeronave antecessora, mas com substituição de todos os equipamentos.

Tu-22M3M recebeu radares inovadores, bem como sistemas de navegação e de guerra eletrônica. Foi equipado com uma cabine digital moderna e mecanismos de controle. Contudo, a principal novidade será a possibilidade de o Tu-22M3M utilizar o míssil de cruzeiro Kh-32.

A munição, graças à sua altitude e velocidade de voo, bem como a entrada a pique no final do voo, é capaz de contornar defesa antimíssil. National Interest acrescenta que o novo míssil possui um alcance maior, sendo mais veloz em voo e possuindo proteção adicional com um sistema integrado de navegação inercial.

A publicação destaca que a estratégia de modernização russa da Força Aeroespacial também está sendo realizada em outras aeronaves, desde o "radar voador" A-50U ao bombardeiro estratégico Tu-160M2, que dá confiança às Forças Armadas russas e permite manter alta prontidão de combate.

Comentários

Postagens mais visitadas