Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Netanyahu: Hezbollah planeja criar usinas para produção de mísseis de precisão

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que o movimento Hezbollah está tentando criar usinas para produção de mísseis de precisão alternativa.


Sputnik

Ele acrescentou que hoje em dia o Hezbollah tem apenas algumas dúzias de mísseis de precisão no seu arsenal.


Militante do Hezbollah na Torre de Vigilância
Militante do Hezbollah © AP Photo / Bilal Hussein

"Aquelas instalações perto do aeroporto de Beirute, as instalações subterrâneas para conversão de precisão de mísseis, que a inteligência militar [israelense] me entregou, para expor, aquelas instalações foram fechadas. Eles estão tentando abrir outras instalações. Mas, através dessas medidas, nós estamos negando-lhes armas de precisão", disse Netanyahu.

Anteriormente, o subsecretário-geral do movimento libanês Hezbollah, Naim Qassem, declarou que o Hezbollah é capaz de atingir qualquer ponto em Israel com seus mísseis.

"Não há um único ponto nos territórios ocupados fora do alcance dos mísseis do Hezbollah", disse Qassem.

Segundo o alto funcionário, os mísseis servem para impedir Israel de iniciar outra guerra com o Líbano, expondo a "frente israelense".

As tensões entre Tel Aviv e o movimento libanês xiita Hezbollah aumentaram em 4 de dezembro depois que as tropas israelenses lançaram a operação Northern Shield, destinada a destruir túneis do Hezbollah usados, segundo os israelenses, para canalizar militantes e armas na fronteira entre Israel e o Líbano.

Comentários

Postagens mais visitadas