Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

OTAN aumenta presença das armas estratégicas perto das fronteiras russas, diz almirante

Nos últimos tempos, os EUA e a OTAN têm aumentado a implantação de armas estratégicas perto das fronteiras da Rússia, declarou o almirante Vladimir Korolev, chefe do Estado-Maior da Marinha, citado pelo jornal Krasnaya Zvezda.


Sputnik

Os EUA e a aliança militar têm aumentado a intensidade da preparação operacional ao longo das fronteiras da Rússia. Além disso, o almirante revelou que os países ocidentais têm instalado, em águas adjacentes às fronteiras russas, sistemas navais americanos de defesa antiaérea, sistemas estratégicos convencionais de alta precisão e instalações de infraestrutura militar, revelou Korolev ao jornal Krasnaya Zvezda


Exercícios da OTAN no Mar Negro
Exercício da OTAN no Mar Negro © AFP 2018 / Daniel Mihailescu

Entretanto, o comandante militar sublinhou que a quantidade de forças da Marinha russa em águas internacionais permite excluir qualquer ameaça proveniente do mar.

"As forças da Marinha russa estarão presentes em importantes regiões dos oceanos na quantidade estabelecida para eliminar qualquer ameaça vinda dos mares ou oceanos", disse ele aos jornalistas no âmbito da reunião do Conselho Coordenador de organizações de veteranos da Marinha russa.

De acordo com Korolev, agora "a presença naval russa é assegurada por cerca de 100 navios de guerra de várias classes".

O almirante acrescentou que em 2019 a Marinha russa vai continuar ser reforçada para, "junto com outros ramos das Forças Armadas da Rússia, garantir a contenção estratégica convencional e nuclear e a prossecução dos interesses nacionais da Federação da Rússia nos oceanos".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas