Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

OTAN aumenta presença das armas estratégicas perto das fronteiras russas, diz almirante

Nos últimos tempos, os EUA e a OTAN têm aumentado a implantação de armas estratégicas perto das fronteiras da Rússia, declarou o almirante Vladimir Korolev, chefe do Estado-Maior da Marinha, citado pelo jornal Krasnaya Zvezda.


Sputnik

Os EUA e a aliança militar têm aumentado a intensidade da preparação operacional ao longo das fronteiras da Rússia. Além disso, o almirante revelou que os países ocidentais têm instalado, em águas adjacentes às fronteiras russas, sistemas navais americanos de defesa antiaérea, sistemas estratégicos convencionais de alta precisão e instalações de infraestrutura militar, revelou Korolev ao jornal Krasnaya Zvezda


Exercícios da OTAN no Mar Negro
Exercício da OTAN no Mar Negro © AFP 2018 / Daniel Mihailescu

Entretanto, o comandante militar sublinhou que a quantidade de forças da Marinha russa em águas internacionais permite excluir qualquer ameaça proveniente do mar.

"As forças da Marinha russa estarão presentes em importantes regiões dos oceanos na quantidade estabelecida para eliminar qualquer ameaça vinda dos mares ou oceanos", disse ele aos jornalistas no âmbito da reunião do Conselho Coordenador de organizações de veteranos da Marinha russa.

De acordo com Korolev, agora "a presença naval russa é assegurada por cerca de 100 navios de guerra de várias classes".

O almirante acrescentou que em 2019 a Marinha russa vai continuar ser reforçada para, "junto com outros ramos das Forças Armadas da Rússia, garantir a contenção estratégica convencional e nuclear e a prossecução dos interesses nacionais da Federação da Rússia nos oceanos".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas