Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Poroshenko decreta fim da lei marcial nas regiões da Ucrânia na fronteira russa

No início de dezembro, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, introduziu a lei marcial em algumas regiões ucranianas localizadas na fronteira russa, após o incidente no Estreito de Kerch, no qual três navios ucranianos cruzaram ilegalmente a fronteira marítima da Rússia.


Sputnik

"São exatamente 14h… e a lei marcial está cancelada. Esta é a minha principal decisão, baseada na análise da atual situação de segurança do Estado e apesar do fato de que a situação em torno da Ucrânia não mudou muito", anunciou o presidente em uma reunião do Conselho de Segurança Nacional.


Pyotr Poroshenko participa de uma reunião do Clube de Imprensa em Tóquio, Japão, em 6 de abril de 2016
Pyotr Poroshenko © AFP 2018 / Toru Yamanaka

O chefe de Estado também afirmou que a lei marcial não afetou a realização da eleição presidencial na Ucrânia, que deve ser realizada em 31 de março de 2019.

As declarações do presidente ucraniano seguiram as do presidente da Rússia, Vladimir Putin. Segundo Putin, o incidente no Estreito de Kerch foi uma provocação para introduzir a lei marcial e suspender o direito de voto de regiões com populações russas antes da eleição presidencial na Ucrânia, já que a popularidade de Poroshenko está em baixa.

Em 25 de novembro, os barcos de guerra Berdyansk e Nikopol, da Ucrânia, e o rebocador Yany Kapu, atravessaram ilegalmente a fronteira marítima russa enquanto navegavam em direção ao Estreito de Kerch, em direção do Mar de Azov. Os navios ucranianos foram apreendidos pela Rússia depois de não responderem à patrulha. Após o incidente, Poroshenko assinou um decreto declarando a lei marcial em várias regiões ucranianas localizadas na fronteira russa.

Comentários

Postagens mais visitadas