Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã desloca sistema russo de defesa S-300 para a costa do golfo Pérsico (VÍDEO)

Uma coluna de caminhões iranianos transportando vários sistemas anti-aéreos russos S-300 Favorit para a costa do golfo Pérsico foi capturada em vídeo por um motorista e postada no YouTube.
Sputnik

O vídeo mostra como caminhões transportam partes dos sistemas antiaéreos e coincide com a escalada de tensão entre os Estados Unidos e o Irã com o envio de um grupo de combate naval dos EUA para a costa iranianas, relata Alarabiya.


Segundo o jornal russo Rossiyiskaya Gazeta, o envio dessas unidades do S-300 para a costa persa responde à crescente presença militar e naval dos Estados Unidos. O artigo também explica que as unidades não viajam sozinhas por via terrestre e fazem isso em caminhões para preservar sua vida útil e garantir a segurança durante a viagem.

Em 13 de maio, o comandante das Forças Aeroespaciais da Guarda Revolucionária Islâmica, Amir Ali Hajizadé, assegurou que o país persa estava pronto para atacar os Estados Unidos devido à presença do referido grupo naval na região.

Hajizadé…

Preocupações críticas de segurança com o projeto da fragata F100

Investigadores sondando o incidente de 8 de novembro que levou ao naufrágio da fragata norueguesa KNM Helge Ingstad após uma colisão com o petroleiro Sola TS identificaram questões críticas de segurança relacionadas aos compartimentos estanques ​​da fragata que requerem atenção imediata.


Poder Naval

O Conselho de Investigação de Acidentes da Noruega (AIBN) diz que deve ser assumido que as questões também se aplicam às outras quatro fragatas classe “Nansen” da Noruega e que “não se pode excluir que o mesmo se aplique a navios com um projeto similar entregue pela Navantia ou que o conceito de projeto continua a ser usado para modelos de vasos semelhantes.”

KNM Helge Ingstad
Fragata KNM Helge Ingstad da classe “Nansen”

As fragatas da classe Nansen baseiam-se na fragata da classe “Álvaro de Bazán” da Navantia, classe F100, que também serviu de base para o destróier da classe Hobart da Austrália e é a embarcação mãe de um projeto na disputa pelo programa FFG(X) da Marinha dos EUA.

A AIBN afirma que supõe que suas descobertas não estão em conformidade com o padrão de estabilidade de danos exigido para as fragatas da classe “Nansen”.

“Para começar”, diz AIBN, “as inundações ocorreram em três compartimentos estanques a bordo da KNM Helge Ingstad: o compartimento do gerador de popa, os alojamentos da tripulação e o paiol de manutenção. Havia alguma incerteza se o compartimento da máquina do leme também foi alagado. Além disso, a tripulação, apoiada pelos documentos de estabilidade da embarcação, avaliou a mesma como tendo um status de “baixa estabilidade”, mas que poderia ser mantida em funcionamento. Se mais compartimentos fossem inundados, o status seria avaliado como ‘navio perdido’ por conta de perda adicional de estabilidade.


Rombo no casco da fragata norueguesa
Rombo no casco da fragata norueguesa

“Em seguida, a tripulação descobriu que a água da compartimento do gerador de popa estava correndo para o compartimento de engrenagens através dos eixos ocos da hélice e que ele estava alagando rapidamente. A partir do compartimento de engrenagens, a água correu e inundou a popa e compartimentos de motores de vante e de ré através das “stuffing box” nas anteparas. Isso significava que a inundação se tornou substancialmente mais extensa do que o indicado pelo dano original. Com base na inundação do compartimento de máquinas, foi decidido se preparar para a evacuação.”

A AIBN emitiu as duas recomendações a seguir:

Recomendação de segurança provisória MARINE Nº 2018/01

O Conselho de Investigação de Acidentes da Noruega recomenda que a Agência Norueguesa de Materiais de Defesa, em cooperação com a Marinha da Noruega e a Autoridade de Segurança de Material das Forças Armadas da Noruega (NAFMSA), conduzam investigações sobre as questões identificadas durante a investigação inicial e implementem medidas necessárias para tratar da segurança.

Recomendação de segurança provisória MARINE Nº 2018/02

O Conselho de Investigação de Acidentes da Noruega recomenda que a Navantia, o projetista da embarcação, conduza investigações sobre os problemas identificados durante essa investigação inicial e verifique se esta também é uma questão relacionada a outras embarcações. Além disso, que a Navantia publique uma notificação aos estaleiros, proprietários e operadores de construção naval, aconselhando sobre as medidas necessárias para abordar a segurança.


Fragata KNM Helge Ingstad
Fragata KNM Helge Ingstad

Você pode baixar as recomendações de segurança da AIBN aqui

Você pode baixar o relatório preliminar da AIBN sobre a colisão aqui

FONTE: Marine Log

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas