Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Preparos para guerra? Força Aérea dos EUA simula invasão de território estrangeiro

A Força Aérea dos EUA efetuou grandes manobras simulando invasão de um território estrangeiro, relatou o portal The Drive.


Sputnik

Vários aviões de transporte militares C-17 e C-130 foram detectados voando em linha durante os exercícios Joint Forcible Entry 18 (Entrada Forçada Conjunta) que decorreram no sudoeste dos Estados Unidos, em Nevada, durante a noite, segundo The Drive.


Avião de transporte aéreo,C-130 Hércules, da Força Aérea americana na Conferência Internacional de armamentos e equipamentos militares na base da Força Aérea africana em Pretória
C-130 Hércules da USAF © Sputnik / Valeriy Melnikov

As manobras, realizadas primeiramente pelo Comando de Mobilidade Aérea da Força Aérea americana, visam treinar uma operação em que forças aéreas e terrestres entram em massa no território de um inimigo para montar uma oficina de combate.

Portais de monitoramento de voo, como o portal CivMilAir, divulgaram algumas imagens mostrando os aviões que participaram e que posições ocuparam durante as manobras que decorreram em 8 de dezembro.

No ano passado, o Comando de Mobilidade Aérea efetuou exercícios semelhantes com forças do Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e Canadá.

As manobras são uma das mais complexas realizadas pelos EUA e combinam recursos de todos os tipos, incluindo caças, aviões de monitoramento, plataformas de guerra eletrônica, bem como forças terrestres e equipamento que são lançados ou deixados no território de um inimigo, escreve The Drive.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas