Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Presença ilegal dos EUA na Síria visa desmembrar soberania do país, diz chancelaria russa

Rússia acredita que a presença ilegal dos EUA na Síria tem o propósito de desmembrar a soberania do país, disse a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.


Sputnik

"A crescente preocupação é causada pelas atividades duvidosas da coalizão internacional liderada pelos EUA na Síria. Continua-se a ocupação ilegal da zona de 55 quilômetros em torno da base militar de Al-Tanf, onde os americanos já atuam como proprietários", falou Zakharova, durante reunião na quarta-feira (5).


As forças dos EUA na sede da Unidade de Proteção do Povo Curdo (YPG) perto de Malikiya, na Síria, em 25 de abril de 2017 (imagem referencial)
Militares dos EUA na Síria © REUTERS / Rodi Said

Segundo a porta-voz da chancelaria russa, "em um contexto mais amplo, o objetivo da presença ilegal dos EUA, é tentar jogar a 'carta curda'" na região do Eufrates para provocar o desmembramento típico da soberania do país sírio, independente das "declarações oficiais dedicadas ao comprometimento com a unidade e a integridade territorial da Síria".

Na noite de 3 de dezembro, foram realizados vários ataques com foguetes nas posições das tropas do governo sírio. Os EUA afirmam que o ataque foi supostamente realizado nos locais de militantes do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países), mas a mídia oficial síria nega isso, afirmou Zakharova.

Comentários

Postagens mais visitadas