Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Programa europeu MALE RPAS passa com sucesso na Avaliação do Design Preliminar do Sistema, etapa final do Estudo de Definição do Programa

Mais uma etapa do programa do Sistema Europeu de Aeronaves de Altitude Média e Longa Duração Pilotadas Remotamente (Medium Altitude Long Endurance Remotely Piloted Aircraft System, ou MALE RPAS) foi concluída com a Avaliação do Design Preliminar do Sistema em 22 de novembro.


DefesaNet

Essa conquista significativa aconteceu após a Organização Europeia para Cooperação em Assuntos Armamentistas Conjuntos (em inglês, OCCAR) ter convidado, no dia 31 de outubro, a Airbus Defence and Space para apresentar uma proposta para Desenvolvimento, Produção e fase inicial de Suporte de Serviço para o programa europeu MALE RPAS.


Essa etapa permite que os países e indústrias participantes comecem a desenvolver o Sistema de acordo com os pré-requisitos definidos e com base em uma ideia clara do design geral do sistema.

Como futura fornecedora principal do projeto, a Airbus Defence & Space coordenará a proposta industrial que será submetida ao Edital de Chamada para Propostas (ITT) e contará com o envolvimento de importantes fornecedores secundários, como a própria Airbus Defence and Space, a Dassault Aviation AS e a Leonardo. O ITT vem para consolidar a intenção dos Estados Participantes (França, Alemanha, Itália e Espanha) de dar continuidade ao programa após a conclusão bem-sucedida da fase de alinhamento de pré-requisitos, assim como a demonstração convincente da qualidade e funcionalidade do design proposto.

O sucesso da Avaliação do Design Preliminar do Sistema aconteceu depois da realização de um estudo de definição com duração de dois anos iniciado em setembro de 2016 pelos Estados Participantes citados. Três dos Estados já haviam assinado uma Declaração de Intenção (DeI) para trabalharem em conjunto em um sistema aéreo europeu MALE não tripulado em maio de 2015.

A Espanha se juntou ao programa em 2016. Desenvolvido para voos em aeroespaço não-segregado, as características do MALE RPAS incluirão modularidade de missão para superioridade operacional em inteligência, vigilância e reconhecimento, tanto de áreas amplas como regiões específicas.

Os Estados Participantes escolheram a configuração do veículo aéreo em meados de 2017, selecionando um sistema de propulsão com turbopropulsor duplo. Até meados da próxima década, o MALE RPAS estará em operação em todo o mundo realizando missões de Inteligência, Vigilância, Aquisição de Alvos e Reconhecimento (IRVA).

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas