Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Reino Unido planeja construir novas bases militares na Ásia e no Caribe

Londres pretende criar duas novas bases militares no Sudeste Asiático e no Caribe depois de deixar a União Europeia, confirmou o secretário de Defesa do Reino Unido, Gavin Williamson, em entrevista ao jornal Telegraph.


Sputnik

"Eu também estou estudando cuidadosamente a questão de como aumentar o número de nossos recursos de baseamento avançado, criando um elemento de contenção e garantindo a presença britânica. Estamos considerando essa possibilidade não apenas no Extremo Oriente, mas também no Caribe", disse o secretário de Defesa britânico.


Dois aviões de guerra britânicos - Tornados - sobrevoam base aérea britânica de Akrotiri, localizada perto da cidade costal de Limassol, Chipre, ao voltar de um ataque aéreo contra alvos do Daesh na Síria
Tornados da RAF © AP Photo / Pavlos Vrionides

De acordo com o jornal, citando funcionários que trabalham com Williamson, as novas bases poderiam ser construídas em Singapura ou no Brunei, na área do mar do Sul da China, assim como na Guiana ou em Montserrat, no Caribe.

Segundo o governante, a saída do Reino Unido da UE permitirá ao país ocupar novamente posições-chave na arena internacional.

"Para nós, este é o momento em que podemos voltar a ser um verdadeiro jogador mundial. E eu acho que as Forças Armadas desempenham nisso um papel realmente importante."

Ao mesmo tempo, o político notou que o Reino Unido irá abandonar a estratégia "Ao leste de Suez", adotada em 1968, por causa da qual o país teve que retirar seu contingente de bases militares na Malásia, Singapura, golfo Pérsico e Maldivas.

Previamente, Gavin Williamson também anunciou que o país abrirá em Omã uma nova base de treinamento gigante após a saída da União Europeia para aumentar a influência britânica na região. Segundo as informações, centenas de militares do Reino Unido serão posicionadas na nova base permanente a partir de março de 2019, o mês em que o Reino Unido sairá da UE.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas