Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Relatos: exército estadunidense estabelece 2 novas bases perto da fronteira síria

O exército estadunidense estabeleceu duas novas bases militares em zonas desabitadas da província iraquiana de Anbar, disse à agência de notícias Anadolu Farhan al-Duleimi, membro do conselho provisório de Anbar.


Sputnik

A primeira base foi estabelecida na região de Rumana, no distrito de Al-Qa'im, perto da fronteira síria, a cerca de 360 quilômetros a leste da capital da província, Ramadi. 


The file photo shows Iraqi soldiers standing guard near the city of Qaim at the Iraqi-Syrian border, November 11, 2018. (AFP)
Militares na fronteira entre Iraque e Síria (AFP)

A segunda base foi criada a leste da cidade de Al-Rutbah, cerca de 310 quilômetros a leste de Ramadi e a menos de 100 quilômetros da fronteira com a Síria, revelou al-Duleimi citado pelo canal PressTV.

O funcionário sugeriu que as bases norte-americanas teriam a intenção de ajudar as forças iraquianas a "proteger as fronteiras do país e de impedir infiltrações do grupo terrorista Daesh (organização terrorista proibida na Rússia)".

"Dezenas de militares dos EUA estão atualmente posicionados nas duas bases, assim como drones e outros equipamentos", acrescentou al-Duleimi, sem fornecer quaisquer provas adicionais.

O governo central de Bagdá e Washington ainda não comentaram a declaração de al-Duleimi. Se for confirmado, isso elevaria o número total de bases na província de Anbar para quatro.

Cerca de 5.000 militares americanos permaneceram no Iraque desde 2014, quando Washington declarou o início de suas operações antiterroristas com o objetivo de derrotar o grupo islamista Daesh, que havia conseguido invadir cerca de dois terços do Iraque, principalmente no norte e no oeste do país.

Em 2017, Bagdá declarou que os terroristas do Daesh foram expulsos do Iraque, após um conflito de três anos que terminou com a libertação da cidade de Mossul, antiga "capital" iraquiana dos jihadistas. O grupo terrorista abandonou todos os seus redutos urbanos no Iraque, mas seus remanescentes continuam a lançar ataques terroristas esporádicos.

Comentários

Postagens mais visitadas