Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Serviço Federal de Segurança russo detém cidadão americano suspeito de espionagem

Os agentes do Serviço Federal de Segurança (FSB, sigla em russo) detiveram em Moscou o cidadão norte-americano Paul Whelan por suspeita de espionagem, de acordo com a assessoria de imprensa do serviço.


Sputnik

Nota-se que a detenção ocorreu no dia 28 de dezembro.


Agentes do FSB da Rússia (foto de arquivo)
© Foto : Centro de Relações Públicas do FSB da Rússia

"No dia 28 de dezembro, em Moscou, os agentes do Serviço Federal de Segurança detiveram o cidadão norte-americano Paul Whelan durante um ato de espionagem", lê-se no comunicado do serviço.

Na sequência do ato foi aberta uma investigação, acrescentou a assessoria. As ações de investigação estão em curso.

Por enquanto, o serviço não divulgou mais detalhes do incidente.

De acordo com a legislação russa, o crime de que o suspeito é acusado prevê uma pena de 10 a 20 anos de prisão.

O Ministério das Relações Exteriores russo comentou o incidente. De acordo com ele, a embaixada dos EUA em Moscou, em rigoroso cumprimento da Convenção Bilateral Consular, foi avisada de forma atempada sobre o fato de detenção do cidadão dos EUA.

Por sua vez, o vice-presidente do Comitê de Segurança e Combate à Corrupção da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Anatoly Vyborny, considera que a detenção de Whelan evidencia passos hostis continuados em relação à Rússia, destacando que os serviços russos reagem "de forma mais do que eficaz".

"Nossos serviços especiais, a meu ver, funcionam de forma mais do que eficaz […] Quanto à detenção deste indivíduo, trata-se de mais uma evidência dos passos hostis em relação ao nosso país", assinalou.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas