Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

SpaceX coloca em órbita satélite da Força Aérea dos EUA

A companhia SpaceX lançou neste domingo desde Cabo Cañaveral (Flórida) um satélite com uma potente tecnologia GPS da Força Aérea dos Estados Unidos.


EFE

Miami - O satélite Global Positioning System III decolou desde uma plataforma do Complexo 40 da estação de Cabo Cañaveral a bordo do foguete Falcon 9 às 8h51 local (11h51, em Brasília), depois de quatro tentativas frustradas, a última delas no sábado e que teve que ser postergada por causa das más condições de tempo.


Resultado de imagem para SpaceX
Reprodução

O satélite deve começar a orbitar duas horas depois do lançamento, de acordo com a companhia.

O lançamento do GPS III, o número 21 da SpaceX durante 2018, representa o primeiro que a firma privada desenvolve com as Forças Armadas dos EUA.

O GPS III, segundo a empresa, "oferece serviços de posicionamento, navegação e sincronização que respaldam operações vitais dos Estados Unidos e aliados no mundo todo".

Pela natureza da missão, nesta ocasião a companhia não vai recuperar uma parte do foguete para voltar a ser reutilizada, como fez em outras oportunidades ao fazê-lo aterrissar em uma plataforma colocada no oceano.

O lançamento de hoje concretiza-se após quatro tentativas frustradas ao longo desta semana, os dois primeiros ocorridos na terça-feira e quarta-feira passadas, que foram adiados para revisar os sensores do foguete Falcon 9, enquanto na quinta-feira e no sábado o alerta de tornados e os fortes ventos obrigaram a suspender os planos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas