Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Theresa May elogia militares britânicos por defender Reino Unido da Rússia

A primeira-ministra britânica Theresa May em sua mensagem de Natal assinalou o papel das forças militares britânicas em garantir a segurança do país, especialmente na luta contra o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países) e contra a "invasão russa", comunicou o canal Sky News.


Sputnik

"Desempenhando um papel vital na limpeza após ataque impudente com uso de agentes nervosos nas ruas de Salisbury, defendendo as nossas águas e o espaço aéreo da invasão russa e fortalecendo nossos aliados na Europa Oriental, atacando o terrorismo como parte da coalizão global contra o Daesh, e ao lado de nossos aliados dos EUA e da França, enviando uma mensagem para o regime de Assad de que nós não ficaremos de lado enquanto armas químicas são usadas [contra inocentes]", declarou.


Theresa May, primeira-ministra britânica
Theresa May © AP Photo / Mark Lennihan

Ela afirmou que os militares britânicos sempre resistirão à agressão a aos que violam as regras internacionais. Na véspera do Ano Novo haverá desafios novos, mas May tem certeza de que os britânicos os enfrentarão como sempre — com coragem, determinação e resiliência.

As relações russo-britânicas deterioraram-se significativamente após o incidente de envenenamento de março em Salisbury. Londres acusou Moscou de estar por trás do ataque ao ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia. A Rússia refutou as alegações e repetidamente apontou para a falta de provas fornecidas por Londres.

No fim de novembro o Ministério da Defesa russo comunicou que os militantes usaram armas químicas em Aleppo contra a população civil. A entidade declarou também que a organização Capacetes Brancos estavam tentando encenar provocações usando agentes químicos na zona de desescalada em Idlib para acusar as forças do governo sírio de usar armas químicas contra a população local. Washington afirmou que não houve ataque químico por terroristas, mas sim um incidente com uso de gás lacrimogênio pelas forças governamentais.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas