Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Turquia propôs aos EUA para examinarem sistemas russos S-400, diz mídia

A Turquia propôs aos especialistas técnicos dos EUA para examinarem os sistemas S-400 depois de sua compra à Rússia, declarou a agência Bloomberg, citando fontes próximas à discussão entre os EUA e a Turquia sobre a compra dos sistemas russos.


Sputnik

De acordo com a agência, Ancara esperava resolver a situação conflituosa surgida nas relações turco-americanas por causa da compra dos sistemas russos S-400.


Sistema de mísseis de defesa aérea S-400
S-400 Triumph © Sputnik / Vitaliy Ankov

A Turquia é um parceiro importante dos EUA no âmbito do programa de produção de caças F-35, já que peças de reposição para esses aviões deveriam ser produzidas por dez companhias turcas, segundo a Bloomberg. Porém, as autoridades norte-americanas recearam que se a Turquia tivesse caças F-35 e sistemas S-400, os computadores russos poderiam teoricamente transmitir à Rússia dados importantíssimos sobre o avião.

Agora os EUA deram um novo passo para obrigar a Turquia a rejeitar os sistemas S-400. Eles propuseram à parte turca os seus sistemas de mísseis Patriot com equipamentos no valor de 3,5 bilhões de dólares. Além disso, anteriormente a administração do presidente dos EUA convenceu os adversários da venda à Turquia dos sistemas norte-americanos no Congresso, declarando que se a Turquia comprasse os S-400, seriam introduzidas sanções contra Ancara.

Então, o negócio entre os EUA e a Turquia pode se realizar, mas em qualquer caso isso exige a aprovação do Congresso norte-americano, sublinhou a agência.

No entanto, o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, anunciou que Ancara estudou anteriormente a possibilidade da compra de sistemas Patriot, mas não conseguiu obter a aprovação de Washington, assinalando que o acordo com a Rússia já não pode ser revogado.

O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, comentando a notícia sobre o possível acesso de especialistas norte-americanos aos sistemas S-400 na Turquia, disse que o contrato com Ancara pressupõe a obrigação de não divulgação de certas informações.

"Regra geral, a cooperação técnico-militar da Rússia com outros países é acompanhada obrigatoriamente pela obrigação de não divulgação de certas categorias de informações, de informação sensível ligada a essa cooperação e a essa interação", comentou o porta-voz, acrescentando que não vê fundamentos para não confiar nos colegas turcos.

O especialista militar Igor Korotchenko comentou à Sputnik que não é vantajoso para Ancara compartilhar dados sobre os S-400 com os EUA.

"A Turquia não está nada interessada em que a informação sobre as características técnico-táticas e capacidades de combate dos S-400, que se tornarão na base do seu sistema nacional de defesa antiaérea, de alguma forma se encontre nas mãos dos EUA, com os quais Ancara tem relações bastante tensas e complicadas", disse Korotchenko.

Segundo o especialista, se trata de defesa da soberania nacional. A Turquia se baseará na posição de que nenhum país, inclusive os parceiros da OTAN, possa obter acesso aos dados sobre os S-400.

Além disso, Korotchenko afirma que nas próximas semanas a Turquia deve esperar mais ataques informativos destinados para dificultar as relações entre Moscou e Ancara e frustrar o acordo sobre os S-400.

Comentários

Postagens mais visitadas