Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

USAF realiza revisão crítica do bombardeiro B-21 Raider

A secretária da Força Aérea dos EUA anunciou em 10 de dezembro que o sistema de armas B-21 Raider – o próximo bombardeiro estratégico da Força Aérea dos EUA – foi submetido a um projeto crítico multidisciplinar e revisão técnica no final de novembro, visando assegurar o design maduro da aeronave à medida que o programa avança para fabricação e teste de voo.


Poder Aéreo

A revisão destaca o progresso significativo alcançado no B-21 desde o início da fase de desenvolvimento de engenharia e fabricação (EMD) há quase três anos. “A Força Aérea está satisfeita com a forma como o programa está avançando”, comentou a secretária da Força Aérea, Heather Wilson. “O programa B-21 Raider está no caminho certo para progredir continuamente nos próximos anos, já que agora passa da fase de projeto para uma fase robusta de manufatura que produzirá nosso primeiro avião de teste B-21.”



O programa é executado pelo Escritório de Capacidades Rápidas da Força Aérea (AFRCO). “Este evento crítico de design é fundamental para amadurecer o design do novo bombardeiro e para identificar os riscos que são consistentes com todos os grandes programas de aquisição em todo o DoD […] Estamos empolgados sobre onde o programa está hoje e estamos buscando gerenciar ativamente o programa para o primeiro voo”, declarou o Diretor Executivo do Programa AFRCO, Randall Walden.

Quando o vice-chefe de gabinete da Força Aérea, general Stephen Wilson, foi perguntado recentemente por que o AFRCO lidera o programa B-21, ele explicou: “Em primeiro lugar, começa com cultura, porque eles são a organização cuja cultura é: ‘eu tenho que entregar capacidade na velocidade da relevância.’ A AFRCO funciona para praticamente todo tipo de programa que podemos fazer. O B-21 está sendo executado no AFRCO e está indo muito bem.”

O bombardeiro B-21 é uma aeronave de longo alcance e altamente resistente capaz de penetrar e operar em futuros ambientes de negação de área (A2D) e antiacesso. A aeronave deve começar a fornecer capacidade inicial em meados da década de 2020.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas