Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Violações de cessar-fogo são constatadas pela Rússia em zona de desescalada na Síria

Nas últimas 24 horas, membros de grupos armados ilegais violaram o regime de cessar-fogo em 20 áreas na zona de escalada de Idlib, na Síria, informou o Ministério da Defesa da Rússia em um comunicado neste domingo.


Sputnik

"No último dia, terroristas lançaram morteiros em Darh Abu Assad (três vezes), Mamuhiyah (duas vezes), Akch Bair, Ikko, Sandran, Beit Zivan e Kirmil, província de Latakia, Braididj (duas vezes), Tell Bazzam (duas vezes), Tell Marak (duas vezes), Zor Mahruka (duas vezes), Zellakiyat, Kibriya, Mgair, al-Rasif e Achan, província de Hama e no Centro de Ciência e Pesquisa do distrito de Sukkari, na cidade de Aleppo", disse o ministério.


Uma garota caminha perto de um prédio danificado em Maarat Al-Nouman, ao sul de Idlib, Síria (foto de arquivo)
Maarat al-Nouman, Síria © REUTERS / Khalil Ashawi

Segundo o comunicado, um militar sírio foi morto como resultado do ataque dos militantes ao assentamento de Kirmil.

O trabalho de 10 postos de controle destinados ao retorno dos refugiados foi facilitado pelo Centro Russo de Reconciliação Síria no período dado, com um total de 213.362 refugiados retornando ao país a partir do sábado, 29 de dezembro.

A Síria está em estado de guerra civil desde 2011, com as forças do governo lutando contra numerosos grupos de oposição e organizações terroristas. A Rússia, juntamente com a Turquia e o Irã, garantem o regime de cessar-fogo na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas