Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Ataques do Boko Haram fazem 30 mil pessoas fugirem da Nigéria para Camarões

Cerca de 30 mil pessoas fugiram no fim de semana da cidade de Rann, no estado nigeriano de Borno, para Camarões por causa dos ataques e ameaças do Boko Haram e outros grupos jihadistas, informou nesta terça-feira a Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).


EFE

Genebra - Em entrevista coletiva, o porta-voz do Acnur, Babar Baloch, disse que esses refugiados fazem parte dos milhares que fugiram nos últimos meses da Nigéria para Camarões e Chade, em um momento de aumento da violência do Boko Haram.


Foto de arquivo, de 2016, que mostra mulheres nigerianas abandonando o povoado de Mairi, na Nigéria, devido a taques do Boko Haram. EFE/Stringer
Foto de arquivo, de 2016, que mostra mulheres nigerianas abandonando o povoado de Mairi, na Nigéria, devido a taques do Boko Haram. EFE/Stringer

"Com mais de 250 mil crianças, mulheres e homens já antes deslocados no nordeste da Nigéria, o aumento dos ataques contra civis está forçando milhares de pessoas a correr por suas vidas todos os dias. As jovens, as mulheres idosas e os trabalhadores humanitários continuam levando a pior parte desta escalada da violência", ressaltou o porta-voz em Genebra.

O Acnur, junto com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), lançou hoje um programa regional de resposta à crise de refugiados nessa região do Sahel para arrecadar doações no valor de US$ 135 milhões. Na zona em torno do Lago Chade (Nigéria, Chade, Camarões) calcula-se que existam 2,5 milhões de deslocados, incluindo 1,8 milhões no interior da Nigéria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas