Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Austrália reconhece Guaidó como presidente interino na Venezuela

A Austrália reconheceu oficialmente na domingo (27) a autoproclamação de Juan Guaidó enquanto presidente interino da Venezuela até que novas eleições presidenciais sejam realizadas no país.


Sputnik

A confirmação foi divulgada através de um comunicado oficial da ministra das Relações Exteriores da Austrália, Marise Payne.


A então ministra da Defesa da Austrália, Marise Payne, em visita ao Pentágono, em Washington, nos EUA, em setembro de 2017.
Marise Payne | CC BY 2.0 / James N. Mattis

"A Austrália reconhece e apoia o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, ao assumir a posição de presidente interino, de acordo com a constituição venezuelana e até que eleições sejam realizadas. A Austrália pede por uma transição para a democracia na Venezuela assim que possível", dizia o comunicado.

A crise política na Venezuela se agravou nas últimas semanas. Após a autoproclamação de Juan Guaidó como presidente interino do país, na quarta-feira (23), diversos países da região passaram a reconhecê-lo como a maior autoridade venezuelana em detrimento do presidente Nicolás Maduro.

Entre os países que já anunciaram apoio a Guaidó estão os Estados Unidos, o Brasil, o Chile e Argentina. Já Maduro segue sendo visto como presidente legítimo da Venezuela por países como a Rússia, a China, o Uruguai e Bolívia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas