Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Avaliada na Ucrânia possibilidade de início de guerra contra Rússia

Um militar aposentado ucraniano comentou uma possível guerra entre os dois países e indicou a única possibilidade de combates reais de grande escala serem desencadeados.


Sputnik

A possibilidade de guerra entre Rússia e Ucrânia se iniciar é mínima, afirmou o tenente-general aposentado dos serviços especiais ucranianos, Vasily Bogdan.


Soldados ucranianos sobre o veículo blindado no Leste da Ucrânia
Tropas ucranianas © AFP 2018 / ALEXANDER KHUDOTEPLY

Em entrevista ao jornal Fakty, o militar aposentado assegurou que não haverá nenhuma guerra entre os dois países antes de as eleições presidenciais na Ucrânia. De acordo com ele, o Kremlin espera que o rumo político de Kiev mude. No entanto, mesmo após as eleições e independentemente de seus resultados, uma guerra de grande escala não será desencadeada, acrescenta.

Na opinião do general, combates sérios acontecerão somente se as tropas russas decidirem atacar.

Ao mesmo tempo, ele acrescentou que o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia está pensando na possibilidade de efetuar operações militares para recuperar Donbass.

As eleições presidenciais na Ucrânia estão marcadas para o dia 31 de março deste ano. A pré-eleição dos candidatos foi iniciada em 31 de dezembro, e no mesmo dia começaram companha eleitoral e registro dos interessados à presidência do país.

Comentários

Postagens mais visitadas