Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Bolton alerta Turquia contra ação militar na Síria sem coordenação com os EUA

O assessor nacional de segurança dos EUA, John Bolton, afirmou neste domingo (6) que a Turquia não deve realizar nenhuma operação na Síria sem um acordo com os EUA.


Sputnik

"Nós não achamos que os turcos devam realizar ação militar que não esteja completamente coordenada e aprovada pelos Estados Unidos, no mínimo para que não coloquem nossas tropas em perigo, mas também para que atendam ao pedido do presidente para que as forças de oposição da Síria que lutaram ao nosso lado não sofram riscos", disse Bolton a repórteres, conforme citado pela NBC News.


Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton
John Bolton © Sputnik / Aleksei Vitvitsky

Ele também acrescentiu que as tropas dos Estados Unidos não sairão da Síria até que Ancara garanta que não atacará as forças curdas, de acordo com a NBC.

Há alguns objetivos que nós queremos atingir que são condições para a saída", disse Bolton.

Em dezembro de 2018, o presidente dos EUA, Donald Trumo, afirmou que as forças dos EUA sairiam da Síria, uma vez que o Daesh, grupo terrorista banido da Rússia, foi derrotado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas