Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Coreia do Sul apresenta versão sobre incidente com avião de patrulha japonês (VIDEO)

A Coreia do Sul voltou a declarar que seu navio militar não usou o radar de controle de fogo contra forças japonesas.


Sputnik

O vídeo dura mais de quatro minutos e apresenta uma análise detalhada da filmagem apresentada pelo Japão há uma semana. De acordo com os sul-coreanos, a filmagem japonesa mostra uma versão deformada do ocorrido e também comprova ações ilegítimas do piloto japonês.


Resultado de imagem para Coreia do Sul apresenta versão sobre incidente com avião de patrulha japonês
Aviões de patrulha Kawasaki P-1 da Força Aérea de Auto Defesa do Japão | Reprodução

Em particular, a filmagem mostra o comunicado de imprensa do Ministério da Defesa japonês sobre o incidente que foi divulgado em 28 de dezembro e que mostra trechos das regras internacionais de voo, inclusive sobre normas de altura mínima de voo. A parte sul-coreana sublinhou que as regras citadas correspondem à aviação civil e não militar.

"Voltamos a declarar que o Japão deve interromper as ações que deformam fatos e apresentar desculpas por realizar voo na altura baixa sobre o nosso navio que estava realizando operação humanitária e de resgate", frisou Choi Hyun-soo, porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

Foi acrescentado também que as ações do piloto da aeronave japonesa "representaram ameaça" para navio sul-coreano.

O incidente ocorreu no dia 20 de dezembro de 2018. Como alega a parte japonesa, o navio da Marinha sul-coreana direcionou o radar de controle de fogo ao avião de patrulha japonês. O ocorrido resultou em protesto oficial por parte de Tóquio.

A Coreia do Sul, por sua vez, insiste que o navio militar estava ajudando um navio norte-coreano com dificuldades nas imediações da área onde o avião japonês estava voando.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas