Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Coreia do Sul apresenta versão sobre incidente com avião de patrulha japonês (VIDEO)

A Coreia do Sul voltou a declarar que seu navio militar não usou o radar de controle de fogo contra forças japonesas.


Sputnik

O vídeo dura mais de quatro minutos e apresenta uma análise detalhada da filmagem apresentada pelo Japão há uma semana. De acordo com os sul-coreanos, a filmagem japonesa mostra uma versão deformada do ocorrido e também comprova ações ilegítimas do piloto japonês.


Resultado de imagem para Coreia do Sul apresenta versão sobre incidente com avião de patrulha japonês
Aviões de patrulha Kawasaki P-1 da Força Aérea de Auto Defesa do Japão | Reprodução

Em particular, a filmagem mostra o comunicado de imprensa do Ministério da Defesa japonês sobre o incidente que foi divulgado em 28 de dezembro e que mostra trechos das regras internacionais de voo, inclusive sobre normas de altura mínima de voo. A parte sul-coreana sublinhou que as regras citadas correspondem à aviação civil e não militar.

"Voltamos a declarar que o Japão deve interromper as ações que deformam fatos e apresentar desculpas por realizar voo na altura baixa sobre o nosso navio que estava realizando operação humanitária e de resgate", frisou Choi Hyun-soo, porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul.

Foi acrescentado também que as ações do piloto da aeronave japonesa "representaram ameaça" para navio sul-coreano.

O incidente ocorreu no dia 20 de dezembro de 2018. Como alega a parte japonesa, o navio da Marinha sul-coreana direcionou o radar de controle de fogo ao avião de patrulha japonês. O ocorrido resultou em protesto oficial por parte de Tóquio.

A Coreia do Sul, por sua vez, insiste que o navio militar estava ajudando um navio norte-coreano com dificuldades nas imediações da área onde o avião japonês estava voando.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas