Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Defesa russa mostra pela 1ª vez míssil 9M729 a altos militares estrangeiros

O Ministério da Defesa russo demonstrou pela primeira vez a diplomatas militares estrangeiros o míssil 9M729 que foi usado como pretexto para culpar a Rússia de violar o Tratado INF.


Sputnik

O míssil modernizado foi apresentado nesta quarta-feira (23) em Moscou a diplomatas estrangeiros.


Míssil modernizado 9М729 apresentado pelo Ministério da Defesa russo no pavilhão de exibição Patriot, nos arredores de Moscou
Míssil modernizado 9М729 apresentado pelo Ministério da Defesa russo no pavilhão de exibição Patriot, nos arredores de Moscou © SPUTNIK / VLADIMIR ASTAPKOVICH

O míssil 9M729 é a versão modernizada do 9M728 usado no complexo de defesa antiaérea Iskander-M. Novo míssil conta com uma capacidade de ataque mais poderosa e um novo complexo de controle a bordo, aumentando ainda mais sua precisão.

De acordo com a entidade militar russa, a alteração do número de ogivas nucleares e implantação de aparelhos adicionais fizeram com que o míssil em questão ganhasse 53 centímetros em comprimento. No entanto, os militares russos afirmam que o alcance máximo foi diminuído em 10 quilômetros e atualmente o míssil pode atingir alvos a uma distância de 480 quilômetros, não violando, assim, o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF).

O Tratado INF, assinado por Washington e Moscou em 1987, não tem data de expiração e proíbe as partes de terem mísseis balísticos terrestres ou mísseis de cruzeiro com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas