Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Egito nega que tenha ocorrido acidente com caça Rafale

Oficiais militares egípcios negaram informes de alguns meios de comunicação russos sobre queda de uma aeronave de combate Dassault Rafale


Poder Aéreo

Em 29 de janeiro, alguns meios de comunicação russos alegaram, com referência à fonte do Egito, que um caça Dassault Rafale da Força Aérea do Egito caiu durante uma missão de treinamento de rotina.

Rafale do Egito
Rafale do Egito | Reprodução

Mais tarde, oficiais militares egípcios negaram categoricamente os relatos da mídia russa e declararam ser uma possível provocação contra o pano de fundo da fase inicial das negociações sobre a compra de mais 12 caças Rafale para a Força Aérea do Egito.

A República Árabe do Egito pode assinar um novo acordo com a Dassault Aviation para comprar mais doze aviões.

Em 16 de fevereiro de 2015, a França concordou em entregar 24 caças Rafale (16 bipostos e 8 monopostos) ao Egito, a um custo de US$ 5,9 bilhões, para equipar sua Força Aérea com um caça multirole de última geração capaz de atender às necessidades operacionais do país e permitindo ao Egito, com total soberania, assegurar sua posição geoestratégica na região.

Em junho de 2016, o Egito iniciou negociações com a Dassault para adquirir 12 Rafales adicionais, o que era uma opção do contrato original. Mas o Egito vem enfrentando a oposição do Tesouro francês para obter o mesmo pacote financeiro favorável que obteve para a ordem original.

Mais tarde, a Revista Scramble publicou que um treinador a jato K-8E Karakorum da Força Aérea do Egito caiu em 28 de janeiro de 2019. O piloto infelizmente faleceu no acidente.

Inicialmente, foi relatado que um Dasault Rafale estava envolvido neste acidente, mas isso parece estar incorreto. Foi relatado que o piloto do desafortunado K-8 era um piloto do Rafale. Ele foi um dos primeiros pilotos do Egito a voar no Rafale.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas