Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Especialista militar avalia capacidade do exército da Venezuela

O exército da Venezuela tem boa capacidade de combate em comparação com o exército da vizinha Colômbia, mas, se o compararmos com os exércitos dos EUA e do Brasil, é um exército fraco, disse à Sputnik o coronel-general aposentado Leonid Ivashov, presidente da Academia de Problemas Geopolíticos da Rússia.


Sputnik

O especialista informou que a Rússia fornece à Venezuela armas para as forças terrestres, defesa aérea, acrescentando que o estado e o poderio de um exército só podem ser avaliados em comparação com os possíveis adversários.


Soldados das Forças Armadas venezuelanas (foto do arquivo)
Militares venezuelanos © AFP 2018 / Juan Barreto

"Para alguns, o exército venezuelano é forte, mas para o exército dos EUA, que estão por trás da mudança de governo na Venezuela, é fraco. Também é fraco em comparação com o exército do vizinho Brasil, mas é bastante capaz em comparação com o exército da Colômbia", disse Ivashov.

O presidente Maduro afirmou em recente entrevista: "Sempre temos planos para avançar na cooperação para melhorar a defesa aérea, a artilharia e os sistemas de mísseis. Nós sempre avançaremos aqui. A Venezuela receberá os armamentos mais avançadas do mundo". Ele afirmou ainda que os armamentos russos chegam ao país todos os meses.

O especialista também expressou preocupação com a provável "divisão" do exército venezuelano, a sua divisão em grupos com posições políticas opostas no contexto da mudança de poder. "Por enquanto a maior parte dos militares continua fiel a Nicolás Maduro", disse.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas