Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Especialistas dos EUA estão 'preocupados' com novo míssil russo de alta precisão Kalibr-M

Os especialistas dos EUA reagiram com preocupação à notícia que a Rússia receberia um novo míssil para o sistema de armas de alta precisão Kalibr, com um raio de ação maior, informa The National Interest.


Sputnik

De acordo com a edição, se a versão anterior 3M14 deste míssel para o sistema Kalibr tem um alcance de 1.500 a 2.500 quilômetros, o míssil Kalibr-M atualizado poderá ser usado a uma distância de mais de 4.500 quilômetros, mas para isso é necessário aumentar suas dimensões e peso.


Um navio da Marinha russa lança o míssil Kalibr contra as posições do grupo terrorista Frente Al-Nusra no mar Mediterrâneo (foto do arquivo)
Lançamento de míssil Kalibr © Foto : Ministério da Defesa da Federação da Rússia

"No entanto, não parece que o aumento das dimensões vá afetar negativamente a compatibilidade do míssil com os navios", afirma The National Interest.

Kalibr-M pode ser instalado em navios de superfície e submarinos nucleares, incluindo os novos submarinos da classe Yasen. A edição americana não exclui que o míssil melhorado também tenha outras vantagens. Particularmente, a publicação destaca seus sistemas de orientação e proteção eletrônica. A publicação também refere que o míssil pode ser equipado com ogivas convencionais ou nucleares.

Além disso, The National Interest lembra que o antecessor do Kalibr-M já foi usado na Síria para destruição de objetivos terrestres e que os mísseis foram lançados a partir de submarinos. A edição americana relata que primeiramente o Kalibr foi projetado para superar os mísseis Tomahawk dos EUA, que estão ficando desatualizados.

Mas se o primeiro Kalibr, segundo o autor da publicação Mark Episkopos, é pouco melhor que os mísseis norte-americanos, a vantagens do Kalibr-M são muito significativas. Kalibr-M supera seu concorrente americano por seu alcance: 4.500 quilômetros contra 1.700. Além disso, o Kalibr-M será tão rápido como Kalibr 3M14 anterior, o que significa que irá superar bastante o Tomahawk em velocidade.

No entanto, a publicação lembra que, mesmo antes do aparecimento de informações sobre o desenvolvimento do míssil modernizado, representantes do Pentágono expressaram sua preocupação com os mísseis já existentes que a Rússia possui.

O comandante da Marinha dos EUA na Europa, almirante James Foggo, disse que se o Kalibr for lançado a partir do mar Negro, mar Mediterrâneo ou mar Cáspio, ele pode alcançar qualquer capital europeia. Isso, segundo o almirante, é preocupante e se o Kalibr-M justificar as expectativas esses receios "se tornarão maiores", conclui The National Interest.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas