Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

EUA ameaçam Irã com 'maior isolamento' se este não cancelar testes de mísseis balísticos

O Irã enfrentará consequências diplomáticas e econômicas se for para a frente com os planos de lançamento de três veículos espaciais nos próximos meses, declarou na quinta-feira (3) o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo.


Sputnik

"Os EUA não ficarão parados a ver as políticas destrutivas do regime iraniano colocarem em risco a estabilidade e a segurança internacionais", afirmou Pompeo.


Míssil balístico iraniano lançado a partir de terreno desconhecido, 9 de março de 2016
Lançamento de míssil balístico iraniano © REUTERS / Mahmood Hossein

"Aconselhamos o regime a reconsiderar esses lançamentos provocadores e a cessar todas as atividades relacionadas com mísseis balísticos para evitar um maior isolamento econômico e diplomático", acrescentou o secretário de Estado.

Em dezembro Pompeo declarou que os EUA vão trabalhar com os membros do Conselho de Segurança da ONU para voltar a impor restrições contra os mísseis balísticos iranianos.

O Ministério das Relações Exteriores do Irã desmentiu as declarações de Pompeo de que o programa de mísseis iraniano teria alegadamente violado a resolução da ONU. O porta-voz das Forças Armadas iranianas, Abolfazl Shekarchi, declarou que o Irã pretende continuar com os testes de mísseis, independentemente da posição de outros países. Ele sublinhou que os testes de mísseis da República Islâmica do Irã são destinados a defender a segurança nacional do país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas