Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA autorizam líder oposicionista a controlar ativos em nome do governo da Venezuela

O Departamento de Estado dos EUA autorizou o líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, a controlar ativos em nome do governo da Venezuela.


Sputnik

Washington certificou a autoridade de Juan Guaidó para controlar alguns ativos mantidos pelo FED (banco central dos EUA) ou por quaisquer outros bancos segurados pelos Estados Unidos.


Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó
Juan Guaidó © REUTERS / Manaure Quintero

"Esta certificação ajudará o governo legítimo da Venezuela a proteger esses bens para o benefício do povo venezuelano", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Roberto Palladino, em um comunicado.

Na última segunda-feira, o assessor de segurança nacional dos EUA, John Bolton, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, realizaram uma entrevista coletiva para anunciar que os EUA bloquearam todos os ativos da estatal venezuelana PDVSA sob sua jurisdição e proibiram acordos com a empresa.

Em 23 de janeiro, o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino da Venezuela. Os EUA e uma série de outros países, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela. A Rússia e vários outros países, incluindo a China, Cuba, e México apoiam a permanência de Maduro.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas