Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA criaram mais de 200 laboratórios biológicos militares, diz político russo

O Conselho de Segurança da Rússia não exclui o desenvolvimento de armas biológicas de nova geração por uma série de países, entretanto, os EUA criaram mais 200 laboratórios biológicos militares por todo o mundo, inclusive na Ucrânia e outros países vizinhos da Rússia, declarou o secretário da entidade russa, Nikolai Patrushev.


Sputnik

"O alarme maior é suscitado pelo desenvolvimento de tecnologias biológicas que podem ser consideradas como investigações de duplo propósito. Nós não excluímos a possibilidade de desenvolvimento de armas biológicas de nova geração por uma série de países", disse Patrushev em entrevista ao jornal Rossiyskaya Gazeta.


Provetas de vidro (imagem referencial)
© flickr.com/ TNS Sofres

Segundo ele, os EUA colocaram em funcionamento mais de 200 laboratórios biológicos militares por todo o mundo, inclusive em países da Comunidade dos Estados Independentes, na Ucrânia, Geórgia e Afeganistão.

"A sua atividade tem pouco em comum com a ciência pacífica. A preocupação maior é suscitada pela realização neles de experimentos com seres humanos. Então, o reforço do controle de epidemiologia e das pesquisas científicas na esfera da segurança biológica ganham uma atualidade cada vez maior", assinalou.

A Rússia expressou por mais de uma vez sua preocupação por causa da atividade do Pentágono instalando seus laboratórios médico-biológicos perto da fronteira russa. Em 2015, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia chamou a atenção para o Centro de Pesquisas de Saúde Pública Richard Lugar, nos arredores de Tbilisi, onde atuava uma divisão de investigação médica das forças terrestres dos EUA.

Moscou admite que as autoridades norte-americanas e georgianas procurem esconder a verdadeira atividade dessa subunidade militar dos EUA que estuda doenças contagiosas especialmente perigosas. A Geórgia considera esses receios infundados e afirma que o laboratório realiza exclusivamente pesquisas cientificas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas