Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

EUA manterão operações contra extremistas no Afeganistão

Os EUA planejam retirar cerca de 7 mil dos 14 mil soldados em serviço no Afeganistão, mas as Forças de Operações Especiais (SOF, sigla em inglês) permanecerão no país para continuar as missões contra os militantes do talibã e do grupo terrorista Daesh, informou a mídia.


Sputnik

O general Austin Scott Miller, comandante das forças dos EUA e da OTAN no país asiático, tentará implementar o plano nos próximos oito a 12 meses, reportou o portal Military.com, citando uma fonte mantida em anonimato.


Contingente militar dos EUA no Afeganistão
Militares dos EUA no Afeganistão © AFP 2018 / Ed JONES

"Teremos uma força de ataque no país", disse a fonte, referindo-se ao contingente das SOF.

Os rumores sobre os supostos planos de Washington de retirar suas forças do Afeganistão surgiram em dezembro, na sequência do anúncio do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a retirada das tropas da Síria em virtude da derrota do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em vários outros países).

No entanto, a Casa Branca rejeitou essas alegações, esclarecendo que Trump não havia ordenado a redução da presença militar dos EUA no Afeganistão.

Atualmente, há cerca de 14 mil soldados norte-americanos no Afeganistão, além de cerca de 16 mil militares da OTAN e dos países aliados. As forças estão envolvidas em missões de treinamento e suporte das Forças Armadas afegãs.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas