Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

EUA pretendem enviar navios de guerra ao Ártico

O secretário da Marinha dos EUA, Richard Spencer, declarou que Washington pretende enviar navios militares ao Ártico em meados deste ano, quando for verão nessa região, para verificar seu desempenho em altas latitudes, relata o portal USNI News.


Sputnik

Em outubro de 2018, o USS Harry S. Truman se tornou o primeiro porta-aviões norte-americano a cruzar o Círculo Polar Ártico em 27 anos. A sua viagem fez parte dos exercícios Trident Juncture da OTAN na Noruega. A Aliança declarou abertamente que o objetivo principal era testar a eficácia de combate das tropas em climas frios e treinar a transferência de grandes agrupamentos militares.


Porta-aviões americano USS Harry S. Truman
USS Harry S. Truman | CC BY 2.0 / Marinha dos EUA / Marinha dos EUA

Segundo a publicação, durante os exercícios o USS Harry S. Truman não experimentou nenhumas dificuldades, no entanto, os navios da escolta não tiveram um bom desempenho.

Spencer observa que os navios da classe Ticonderoga foram a última classe de navios norte-americanos equipados com sistemas a vapor para remoção do gelo. Os navios mais modernos não dispõem dessa função.

O secretário da Marinha dos EUA apelou à OTAN para elevar seus requisitos para a condução de operações no Ártico.

Além disso, ele se referiu ironicamente à atividade da Rússia na região. O Kremlin sublinhou repetidamente que as atividades dos navios russos são realizadas com objetivos de pesquisa e para operações de resgate.

"Acho que também devemos ir lá para procurar operações de busca e resgate", disse.

Posteriormente, ele explicou que isso foi um comentário irônico e que o verdadeiro propósito dos EUA é garantir a liberdade de navegação.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, já havia alertado sobre possíveis conflitos no Ártico. A mídia alemã também escreveu que as ações dos EUA para "garantir a liberdade da navegação marítima" serão conduzidas em regiões reivindicadas pela Rússia, o que pode levar a um novo "incidente de Kerch".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas