Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

EUA pretendem enviar navios de guerra ao Ártico

O secretário da Marinha dos EUA, Richard Spencer, declarou que Washington pretende enviar navios militares ao Ártico em meados deste ano, quando for verão nessa região, para verificar seu desempenho em altas latitudes, relata o portal USNI News.


Sputnik

Em outubro de 2018, o USS Harry S. Truman se tornou o primeiro porta-aviões norte-americano a cruzar o Círculo Polar Ártico em 27 anos. A sua viagem fez parte dos exercícios Trident Juncture da OTAN na Noruega. A Aliança declarou abertamente que o objetivo principal era testar a eficácia de combate das tropas em climas frios e treinar a transferência de grandes agrupamentos militares.


Porta-aviões americano USS Harry S. Truman
USS Harry S. Truman | CC BY 2.0 / Marinha dos EUA / Marinha dos EUA

Segundo a publicação, durante os exercícios o USS Harry S. Truman não experimentou nenhumas dificuldades, no entanto, os navios da escolta não tiveram um bom desempenho.

Spencer observa que os navios da classe Ticonderoga foram a última classe de navios norte-americanos equipados com sistemas a vapor para remoção do gelo. Os navios mais modernos não dispõem dessa função.

O secretário da Marinha dos EUA apelou à OTAN para elevar seus requisitos para a condução de operações no Ártico.

Além disso, ele se referiu ironicamente à atividade da Rússia na região. O Kremlin sublinhou repetidamente que as atividades dos navios russos são realizadas com objetivos de pesquisa e para operações de resgate.

"Acho que também devemos ir lá para procurar operações de busca e resgate", disse.

Posteriormente, ele explicou que isso foi um comentário irônico e que o verdadeiro propósito dos EUA é garantir a liberdade de navegação.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, já havia alertado sobre possíveis conflitos no Ártico. A mídia alemã também escreveu que as ações dos EUA para "garantir a liberdade da navegação marítima" serão conduzidas em regiões reivindicadas pela Rússia, o que pode levar a um novo "incidente de Kerch".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas