Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Ex-ministro israelense se declara culpado de espionagem para Irã

Na quarta-feira (9), o Ministério da Justiça de Israel informou que o ex-ministro da Energia de Israel, Gonen Segev, admitiu ter espionado para o Irã, segundo a Reuters.


Sputnik

A defesa e a acusação chegaram a acordo de que Segev seja condenado a 11 anos de prisão por "espionagem grave" e por "transferência de informações para o inimigo". O tribunal ainda não aprovou formalmente a sentença de prisão negociada com o ex-ministro.


Gonen Segev, ex-ministro da Energia de Israel, 5 de julho de 2018
Gonen Segev © REUTERS / Ronen Zvulun

O serviço de segurança interna Shin Bet de Israel comunicou, na época, que o médico e ex-ministro da Energia (1995-96) Gonen Segev havia sido recrutado pela inteligência iraniana quando morava na Nigéria e "servia como agente".

Após a investigação, descobriu-se que o ex-ministro contatou as autoridades na embaixada iraniana na Nigéria em 2012 e visitou o Irã duas vezes para se reunir com pessoas que administravam sua relação com o país persa, sabendo que eles eram agentes da inteligência iraniana, alegou o serviço secreto.

Segundo o comunicado, Segev havia recebido um sistema de comunicações criptografadas de agentes iranianos e forneceu ao Irã "informações relacionadas ao setor energético, locais de segurança em Israel e responsáveis por instituições políticas e de segurança".

Em 2004, o médico, que teve sua licença cancelada em Israel, foi preso por tentar contrabandear pílulas de "ecstasy" para Israel e deixou o país em 2007, após sua libertação da prisão.

De acordo com as autoridades israelenses, o ex-ministro foi preso em maio de 2018 durante uma visita à Guiné Equatorial e extraditado para Israel.

Jerusalém trava há muito tempo uma guerra contra Teerã, que apoia guerrilheiros islâmicos na Faixa de Gaza e no Líbano, enquanto o Irã acusa Israel de ser o responsável por atos de sabotagem e assassinatos de cientistas envolvidos em seu programa nuclear.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas