Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

F-16 do deserto: Indonésia modernizou 24 caças por US$ 670 milhões

A Força Aérea da Indonésia (Tentara Nasional Indonesia – Angkatan Udara, TNI-AU) ganhou, em janeiro de 2012, 30 caças F-16 que estavam armazenados no AMARG, nos EUA.


Poder Aéreo

Destes, 24 aviões foram depois atualizados do Bloco 25 para o padrão Bloco 52 pela Força Aérea dos EUA (USAF) no Complexo Logístico de Ogden (Base Aérea de Hill, Utah).

F-16 Fighting Falcon da Indonésia | Reprodução

As aeronaves F-16 envolvidas foram originalmente voadas pelas unidades da Força Aérea dos EUA e da Guarda Aérea Nacional, mas foram desativadas e armazenadas por vários anos no 309th Aerospace Maintenance and Regeneration Group (AMARG) na Davis-Monthan AFB, no deserto do Arizona.

Os 30 caças F-16C/D estocados no deserto foram recebidos sem custo, sendo que seis deles foram canibalizados para gerar peças sobressalentes.

O governo indonésio pagou US$ 670 milhões para modernizar 24 jatos com novos aviônicos, motores, asas, trem de pouso e outros componentes.

A mídia local relatou que a reforma incluiu extensão da vida útil, como a revisão das asas, trem de pouso e motores, bem como melhorias de capacidade de aviônicos. Estes incluem um radar AN/APG-68 atualizado (V), enlace de dados no padrão Link 16, sistema de guerra eletrônica AN/ALQ-213, RWR (alerta radar) ALR-69 Classe IV e contramedidas ALE-47.

As três primeiras aeronaves modernizadas foram recebidas em 25 de julho de 2014.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas